Morador de rua confessa que matou professora

Neto del Hoyo - Metro Maringá

Câmeras de segurança levaram Polícia Civil ao suspeito que confirmou conhecer a vítima.

Imagens de câmeras de circuitos de segurança na região onde morava a professora Maria Aparecida Carnelossi Pacífico, de 60 anos, ajudaram a Polícia Civil identificar um suspeito que confessou ter matado a vítima a pauladas no último sábado (23).

O homem, um morador de rua e usuário de drogas de 41 anos, foi encontrado pelos policiais na Praça Raposo Tavares e teve a prisão preventiva decretada. Em depoimento, ele teria entregue um outro andarilho que também seria usuário de drogas e teria participado do crime. Esse suspeito também foi detido.

“Ele (suspeito) afirmou que os dois entraram na casa da vítima inicialmente para roubar, apenas, e não soube dizer como tudo caminhou até a morte dela”, destaca o delegado-adjunto da 9ª SDP (Subdivisão Policial de Maringá), Luiz Henrique Vicentini, responsável pelo caso.

A suspeita dos policiais é de que Maria Aparecida, conhecida na cidade como Kaká, foi vítima de latrocínio, o roubo seguido de morte. Ela foi morta na manhã de sábado a pauladas enquanto dormia em sua própria casa, na Rua Antônio Carniel, na Zona 5.

A polícia agora vai comparar as digitais dos suspeitos com as encontradas nos pratos sujos encontrados no local do crime. “A vítima era muito conhecida por ajudar pessoas em situação de rua. O suspeito confessou que a conhecia e já havia se alimentado na casa dela”, destaca o delegado.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="532493" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]