Agentes penitenciários pedem ajuda para evitar proliferação de sarna na Casa de Custódia de Piraquara

Angelo Sfair - BandNews FM Curitiba


O sindicato que representa os agentes penitenciários pede a intervenção da Secretaria de Saúde para evitar um surto de sarna na Casa de Custódia de Piraquara (CCP). A entidade revela a preocupação após a transferência, na segunda-feira (11), dos 52 presos que estavam detidos na carceragem da delegacia de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba.

O local foi interditado por causa da proliferação de sarna. O Sindarspen (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná) enviou um ofício ao Departamento Penitenciário (Depen) pedindo a criação de uma força-tarefa para reforçar a presença de médicos e enfermeiros na CCP.

Os presos transferidos à Piraquara estão isolados em contêineres separados dos demais encarcerados. Apesar dessa medida preventiva, o presidente do Sindarspen, Ricardo de Carvalho Miranda, aponta que há risco de contaminação: “Eles estão em contêineres separados, mas na mesma galeria. O remédio que toma para combater essa doença demora alguns dias para fazer efeito. Durante esse período, os agentes penitenciários têm que fazer contagem, pagamento de alimentação, eles têm um contato permanente com esses presos”, explica.

O representante dos agentes penitenciários ainda revela a preocupação de que a sarna se espalhe além do presídio: “Esse contato pode fazer com que os agentes adquiram essa doença, que transmitam para outros presos, para seus familiares, e aí os filhos para a escola, as esposas pro trabalho. Então há esse risco muito grande, porque o remédio não é de efeito imediato”.

De acordo com o Sindarspen, 100 agentes trabalham na CCP, divididos em três equipes. Os mesmos servidores que lidam com os presos isolados também precisam ter contato com os demais 1.500 detentos da Casa de Custódia. O sindicato ainda aponta que na CCP há apenas uma enfermeira, além de um médico plantonista para os finais de semana. O número é considerado insuficiente para cobrir a demanda.

O Depen explica que a Secretaria da Saúde acompanha o caso desde que foi acionada pela Superintendência de Atenção à Saúde. Por meio de nota, o Departamento Penitenciário ainda informa tomou as providências necessárias.

Segundo o órgão, todos os presos transferidos da Delegacia de São José dos Pinhais para a Casa de Custódia de Piraquara (CCP) foram isolados do restante da massa carcerária, receberam atendimento médico e são acompanhados diariamente pela equipe de saúde da unidade prisional”.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="594211" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]