Em depoimento, suspeito nega participação no assassinato de Daniel

Alexandra Fernandes


Em depoimento na tarde desta segunda-feira, Eduardo Purkote Chiurato, o sétimo suspeito preso pelo envolvimento no assassinato do jogador Daniel Corrêa Freitas, negou que tenha participado das agressões ao jogador, ou ainda entregado uma faca de cozinha utilizada no crime para o assassino confesso Edison Brittes.

Eduardo foi preso após ter sido citado em vários depoimentos como um dos autores das agressões. Ele foi citado também como o responsável por arrombar a porta do quarto onde estavam Daniel e Cristiana Brittes, a esposa de Edison, e também de ter quebrado o celular do atleta.

De acordo com o advogado de defesa de Purkote, Ricardo Dewes, o jovem teria sido citado nos interrogatórios como forma de represália por não ter compactuado com a versão combinada com a família Brittes. “Para a gente é estranho, a gente não consegue entender qual é a atitude deles. O que tá parecendo é que é uma reprimenda por eles estarem falando a verdade, uma versão diferente da que eles foram coagidos a falar”.

Eduardo é um dos jovens que participou de uma reunião, dias após o crime, com a Edison, Allana e Cristiana Brittes em um a um shopping de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

O encontro seria para combinar a versão a ser dada a polícia. Eduardo Purkote chegou a depor como testemunha no inquérito. Segundo a defesa, neste segundo depoimento já como suspeito, o jovem mantém a versão já dada a polícia. Ele permanece preso e deve passar por uma audiência de custódia nesta semana.

Na manhã de hoje, a defesa do empresário Edison Brittes, o assassino confesso de Daniel, divulgou um vídeo em que o empresário, visivelmente abatido, nega que tenha sofrido qualquer agressão onde está detido, no Centro de Triagem 1, em Curitiba. “Eu quero deixar bem claro que estou bem, não sofri nenhum tipo de ameaça e nem agressão”, disse.

A notícia de que Edison foi espancado por outros detentos circulou na imprensa na quinta-feira passada. No entanto, tanto a defesa de Brittes, quanto a Polícia Civil negaram no mesmo dia qualquer situação de violência contra o empresário.

Previous ArticleNext Article