Família acusada de matar jogador Daniel pede habeas corpus

Alexandra Fernandes

Allana Brittes, uma das rés no processo do caso da morte do jogador Daniel Corrêa Freitas pode ser liberada da prisão até o final do mês de janeiro. Um Habeas Corpus solicitado pela defesa, que foi protocolado no dia 4 de dezembro de 2018, está em análise pelos desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

O julgamento do tema deve acontecer até o final do mês de janeiro. De acordo com a defesa Claúdio Dalledone, o pedido tem base que Allana não oferece nenhum risco para o processo.

Também foi protocolado no TJ-PR, um pedido o habeas corpus para a ré Cristiane Brittes, que é mãe de Allana e esposa do assassino confesso Edson Brittes.

No dia 18 de dezembro, a defesa já havia pedido para a juíza da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, a prisão domiciliar, sob o argumento de que a ela tem uma filha menor, de 12 anos, que precisa de cuidados, e que ela não oferece riscos, já que poderia ser monitorada por tornozeleira eletrônica. Porém, a solicitação foi negada.

Com isto, a defesa recorreu ao Tribunal de Justiça para que Cristiana responda em liberdade. Os argumentos são os mesmos, de que a filha caçula precisa de cuidados.

Ainda não há prazo para o julgamento do habeas corpus de Cristiana. Outros seis réus do processo seguem presos há quatro meses, entre eles o assassino confesso Edison Brittes. Daniel foi encontrado morto no dia 27 de outubro em uma plantação de pinus, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O corpo estava com sinais de agressões e mutilações.

 

Previous ArticleNext Article