Agricultor paranaense cria cálculo para decidir em quem votar

Mariana Ohde e Lucian Pichetti - CBN Curitiba

Ele criou a Matriz de Decisão de Voto, inspirado no que aprendeu na faculdade.

A desilusão com os políticos brasileiros fez com que um produtor rural do Paraná recorresse à lógica para escolher o melhor candidato nas eleições deste ano. Mesaque Kecot Veres criou a Matriz de Decisão de Voto, inspirado no que aprendeu no curso universitário. que começou a frequentar aos 56 anos.

Mesaque é técnico em agropecuária e produz frutas desidratadas no Campos Gerais do Paraná. Ele começou a estudar para melhorar a gestão de sua propriedade. “Com 56 anos, eu estou fazendo gestão de produção industrial”, conta. No curso, ele aprendeu sobre matrizes. “Você faz a matriz para comprar um produto, coisa e tal. Aí, eu pensei: ‘Puxa vida, eu estou tão desanimado na política. Será que isso não funciona na política?'”, conta.

“Fiz um ‘esqueminha’, dando peso para as coisas que eu achava importantes, por exemplo, honestidade, do candidato e do partido. Fiz itens assim, mas você pode ampliar”, explica.

Mesaque postou o cálculo nas redes sociais.

Além da honestidade do candidato e do partido, o cálculo leva em consideração outros dois itens: o que o candidato e o partido já fizeram pelo estado e pelo país e as propostas relevantes de cada um.

O cálculo funciona assim: cada candidato recebe uma nota por quesito, que é multiplicada por 9. Por exemplo:

Candidato 1

Honestidade: paira uma dúvida sobre uma doação de campanha por uma empresa corrupta e também um emprego fantasma para um parente, mas nunca foi citado na Lava Jato.
Nota: 8×9 = 72.

Trabalho Prestado: Desconhecido
Nota: 1×9 = 9

Proposta: Liberar armas
Nota 1×9 = 9

Nota Final: 90

Para Mesaque, o voto consciente fortalece o eleitor. “O que a gente, geralmente, faz? ‘Sou simpático com esse’ ou ‘Não gosto dessa ideologia’. Fica uma coisa meio vaga, a escolha acaba acontecendo de modo vago. Melhoraria muito a qualidade se a gente tivesse muita gente escolhendo bem os candidatos. Os candidatos iam ter que caprichar mais, fazer mais, pois eles saberiam que estariam sendo avaliados para a próxima”.

Para ele, colocar as informações no papel pode ajudar a tomar a decisão. “A fórmula matemática ajuda a gente não com a emoção, mas com a razão, com dados”, afirma.

No dia 7 de outubro, eleitores em todo o país vão começar a escolher quem será o presidente, os senadores, governadores, deputados federais e estaduais. O eventual segundo turno está marcado para 28 de outubro.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="540761" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]