Vereador de Araucária é preso logo após prestar depoimento

Redação


O vereador Francisco Carlos Cabrini (PP), de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, foi preso preventivamente nesta quarta-feira (3), logo após ser interrogado em juízo na ação penal referente à primeira fase da Operação Sinecuras, conhecida como Mensalinho, que apura a existência de um esquema de corrupção institucionalizada na administração pública do Município.

O esquema teria vigorado de 2013 a 2016 e consistia no pagamento mensal de propina feito pelo alto escalão do Executivo aos vereadores.

A prisão foi realizada no 8º dia de audiências (que começaram no dia 25 de março) a pedido do Ministério Público do Paraná, após ficar comprovado que o vereador tentou influenciar o depoimento de uma das testemunhas, que relatou o fato em juízo. Também foi preso preventivamente o cunhado do vereador, Valmir Vaz Torres, por ter coagido a testemunha ainda na fase de investigação.

Embora tenha sido afastado da função pública por conta das medidas cautelares alternativas decretadas pela Justiça, o vereador não teve o mandato cassado pela Câmara Municipal.

Além da ação penal que gerou a prisão, já próxima do término da instrução, o vereador também é réu em outra ação penal referente a um esquema de captação ilícita de recursos mediante a prática de crimes de concussão e organização criminosa – o réu exigia parte da remuneração de pessoas por ele indicadas para ocupar cargos comissionados na prefeitura de Araucária.

 

Previous ArticleNext Article