Em rebelião, presos rendem agentes penitenciários na Casa de Custódia

Detentos da Casa de Custódia de Curitiba, na Cidade Industrial de Curitiba, iniciaram uma rebelião neste domingo (1º), p..

Mariana Ohde - 02 de julho de 2018, 06:45

Foto: Reprodução / Google StreetView
Foto: Reprodução / Google StreetView

Detentos da Casa de Custódia de Curitiba, na Cidade Industrial de Curitiba, iniciaram uma rebelião neste domingo (1º), por volta de 18h. Os presos da galeria 1 renderam cinco agentes penitenciários. Um deles, que estava ferido, foi liberado poucas horas depois.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) e Comandos e Operações Especiais (COE), da Polícia Militar (PM) foi chamado e conseguiu isolar as galerias 2 e 3.

Os presos reivindicam a transferência de alguns detentos, devido à superlotação do local. A galeria 1 abrigava 172 detentos no momento da rebelião, segundo a advogada Isabel Kluger Mendes, da Comissão de Direitos Humanos da OAB-PR. “Sempre tem superlotação. A capacidade é para aproximadamente 500, mas tem mais de 600”, afirmou Isabel. Em 14 de janeiro deste ano, três detentos foram mortos com golpes de faca improvisada na Casa de Custódia.

Segundo o capitão Márcio Roberto da Silveira, eles pedem também o retorno de quatro presos que foram transferidos anteriormente. "Enquanto os presos não forem para a CCC, a reivindidação é que eles sejam mantidos com segurança nas unidades de origem: Ponta Grossa, Francisco Beltrão e outros locais", explica. O capitão informa que a possibilidade de transferir novamente os presos está sendo avaliada.

"Não há relato de feridos. Um refém foi liberado, restam quatro. A primeira galeria foi tomada pelos rebeldes. Seriam 172 rebelados, mas a equipe de negociação do COE está fazendo seu trabalho", diz. Segundo ele, não há previsão de conclusão das negociações.