Corte determinado pelo MEC é uma ameaça à continuidade das atividades, diz UFPR

Mariana Ohde

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) informou por meio de nota, nesta quinta-feira (2), o bloqueio de 30% das verbas destinadas ao custeio das atividades das universidades federais, determinado pelo Ministério da Educação (MEC). Na UFPR, o bloqueio representa um corte de mais de R$ 48 milhões, que, segundo a universidade, impactará “itens relativos ao próprio funcionamento da instituição”.

Entre as despesas que devem ser atingidas estão a água, energia, contratos de prestação de serviços, restaurantes universitários, entre outros. “Se esta medida não for revertida, as consequências serão graves para o desempenho das atividades da Universidade no segundo semestre de 2019”, diz a nota.

A UFPR ainda afirma que o investimento nas universidades federais é importante para a soberania nacional, para a formação de excelência das futuras gerações, para o aumento da qualidade de vida da população e para o próprio desenvolvimento pleno da economia nacional, nas indústrias ou no agronegócio, entre outros setores.

A universidade é a mais antiga em funcionamento no país, atende 33 mil alunos, em 164 cursos de graduação e 89 programas de pós-graduação com 89 mestrados e 61 doutorados, além de 45 cursos de especialização e profunda inserção na nossa comunidade em 392 projetos e programas de extensão.

“Contamos com o diálogo com as instâncias competentes do governo federal para continuar atendendo à comunidade paranaense, como temos feito há mais de 106 anos, sem o perigo de interrupção das nossas atividades, o que acarretará prejuízos imensuráveis para os nossos estudantes e para a sociedade”.

A nota ainda ressalta reconhecimentos recentes da UFPR, como a 7ª colocação geral no Ranking Universitário Folha (RUF) de 2018.

Confira a nota na íntegra:


 

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal