Paraná será o primeiro estado a testar o Documento Nacional de Identidade

Mariana Ohde e Assessoria

Dois mil servidores do Instituto de Identificação, Detran, Celepar e TRE serão os primeiros brasileiros a ter o documento.

O Paraná foi escolhido para o projeto-piloto da emissão do Documento Nacional de Identidade, que reúne em um único aplicativo digital a identidade, título de eleitor e CPF do cidadão.

O governador Beto Richa e a vice-governadora Cida Borghetti participaram nesta quinta-feira (5) do lançamento do documento, na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em Curitiba.

“Vamos disponibilizar, a partir de hoje, o grande banco de dados de biometria que temos no estado para que possamos ter, a partir do Paraná, o Documento Nacional de Identidade, que facilita, simplifica e desburocratiza a vida do cidadão”, afirmou o governador.

Dois mil servidores do Instituto de Identificação do Paraná, Detran, Celepar e TRE serão os primeiros brasileiros a ter o novo documento, a partir desta segunda-feira (9).

As primeiras emissões vão servir para testar a estabilidade do processo e avaliar a solução para que ela esteja consolidada quando for ofertada para a população em geral, o que deverá ocorrer no segundo semestre deste ano.

Revisão biométrica

O novo documento vai utilizar a base de dados do cadastro eleitoral da Identificação Civil Nacional, criada a partir da emissão do título de eleitor com identificação biométrica. Só vai conseguir emitir o documento, que será 100% digital, quem já fez a revisão biométrica e suas impressões digitais batem com o que está cadastrado na Justiça Eleitoral.

“Isso vai evitar fraudes e duplicação de documentos, porque hoje os cidadãos podem tirar uma Carteira de Identidade em cada um dos 27 estados”, explicou o presidente do TRE-PR, Luiz Taro Oyama.

Isso vai garantir uma identidade única para cada cidadão e reforçar a segurança e a confiabilidade da identificação. Outros mecanismos de segurança irão evitar possíveis fraudes do documento. O aplicativo só poderá ser acessado com uma senha pessoal. Além disso, um QR Code é gerado a cada acesso para fazer a verificação do documento.

De acordo com Maria Tereza Uille Gomes, membro do Conselho Nacional de Justiça e do Comitê Gestor de Identificação Civil Nacional, o Documento Nacional de Identidade será mais seguro, pois evitará falsificações e a duplicação de dados.

“Será um instrumento de cidadania para os brasileiros, que terão, desde o seu nascimento, um número único que o identificará perante todos os atos da vida civil”, disse. “Hoje existe uma fraude bancária astronômica que poderia ser evitada com o uso de documentos integrados entre o Executivo e o Judiciário, como é caso do DNI”, afirmou.

Emissão

Neste primeiro momento, somente os servidores já selecionados poderão fazer o DNI. A partir do próximo semestre, o cidadão interessado em ter o documento deve fazer um pré-cadastro em um aplicativo que será disponibilizado à população.

Está em análise que a emissão será feita nos postos do Instituto de Identificação do Paraná, Detran e Celepar para fazer a revisão biométrica.

Além do CPF e Título de Eleitor, o projeto prevê a incorporação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), as certidões de nascimento e de casamento e o cartão saúde após as fases de testes.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="515553" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]