Após instalar internet, técnicos tocam piano na casa de cliente no Paraná

Mariana Ohde

O vídeo postado pela cliente nas redes sociais viralizou.

O que era para ser apenas a instalação do serviço de internet da Copel acabou se tornando um viral – e uma nova amizade – em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba.

No dia 4 de maio, a empresária e professora Priscila de Carvalho e o marido, Robert, receberam, em casa, os técnicos que fariam o serviço. E logo perceberam que um deles, Ricardo Farani, não tirava os olhos do piano na sala.

“Meu marido viu que o Ricardo estava namorando o piano desde a hora que ele chegou”, conta Priscila. Ao descobrir que o auxiliar técnico era também tecladista em sua igreja e que se apresentava em projetos sociais e em eventos, Robert sugeriu que ele tocasse. “Ele ficou todo sem jeito. Disse que estava com as mãos sujas, porque tinha acabado de arrumar as coisas”, diz a empresária.

“Eu fiquei admirando o piano. Muito lindo! A hora que entrei, eu vi, coisa mais linda”, conta Ricardo, que insistiu em lavar as mãos antes de se sentar. Ricardo tocou e cantou acompanhado dos outros dois colegas de trabalho: Gil Vicente Adão, que canta, toca piano e violão, e Adilson Hélio Santos, que também é baterista.

“Quando ele pegou para tocar a música, ele fez aquele estrago! Foi lindo demais. Meu marido se emocionou, começou a filmar, não acreditou no que estava vendo. Nesse meio tempo, ele me ligou: ‘Amor, largue tudo que você está fazendo, volte pra casa que tem uma coisa acontecendo aqui”.

Priscila, que voltava de uma reunião de projetos sociais – ela mantém a ONG Mulher Paranaense -, se emocionou ao ver a cena. “Quando cheguei, ele estava tocando ‘Aleluia’, foi muito emocionante de ouvir”, conta, elogiando o talento do trio. “Era um sonho meu ver alguém tocando assim tão bem”.

“Quando vi ela chegar, pensei ‘ih, a dona do piano'”, brinca Ricardo. “Eles foram muito simpáticos, um casal extraordinário”, diz. O casal pediu que eles tocassem mais músicas e começaram a gravar. “Foi um momento emocionante”, lembra Ricardo.

Foi a primeira vez que Ricardo – que toca piano e acordeon desde os 11 anos – viveu uma situação parecida. “Acho que surpreendeu todo mundo. A gente jamais esperava. Não esperava nem que eles fossem gravar. Depois que ele postou, viralizou”, conta.

“Eles uniformizados, de repente, sentam ali e fazem um show! Parece pegadinha!”, ri Priscila.

Repercussão

Os vídeos fizeram sucesso – segundo Priscila, a postagem rendeu mensagens de todo o Brasil e do exterior, além dos contatos de repórteres. “Além de pedir o contato, elogiam eles pelo trabalho”, diz. “Um repórter da Inglaterra entrou em contato, falando que tinha visto. Pessoal dos Estados Unidos, postaram em um blog de lá”, disse.

No Facebook, até a manhã desta sexta-feira (18), a publicação tinha mais de 2 mil compartilhamentos e quase 3 mil interações. Para Ricardo, o alcance dos vídeos foi uma surpresa. “Pessoal chama para tocar nas igrejas, para tocar em eventos, elogiam bastante”, comemora.

Na Copel, a reação também foi positiva. “O chefe mandou mensagem perguntando se eramos nós na casa do cliente. Estávamos uniformizados e tudo. Até bateu aquele receio, mas falei a verdade, que era eu tocando”, disse. “Em seguida, mandei o vídeo do Robert falando, elogiando a Copel”.

Segundo Ricardo, todos os colegas reagiram bem – e teve até quem pedisse fotos com eles. “Eles reagiram super bem. Até os chefes, vieram conversar com a gente, dar os parabéns”, conta.

A brincadeira acabou virando amizade. Neste final de semana, Priscila e Ricardo estão organizando um churrasco para as famílias. “A gente marcou churrasco no sábado, aqui em casa. A gente vai se encontrar. Sábado vamos conhecer as famílias deles, acabamos conhecendo todos pelo Facebook. Vamos interagir, ouvir mais músicas deles. Temos muitos amigos em comum, depois acabamos descobrindo”, conta a empresária.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal