Procon registrou 320 denúncias de preços abusivos nos postos do Paraná

Desde o início da greve dos caminhoneiros, na última segunda-feira (21), já foram registradas 320 reclamações no site do..

Mariana Ohde - 29 de maio de 2018, 11:22

Foto: Paraná Portal
Foto: Paraná Portal

Desde o início da greve dos caminhoneiros, na última segunda-feira (21), já foram registradas 320 reclamações no site do Procon-PR feitas por consumidores e também por fiscais que visitam os postos de combustíveis em todo o Paraná.

Com o transporte do produto comprometido pela paralisação, houve crise de abastecimento em todo o país e muitas empresas aproveitaram para aumentar os preços. Os valores, em alguns postos, ficaram próximos dos R$ 5.

Para amenizar o problema, o Procon-PR disponibiliza uma ferramenta online para receber, especificamente, denúncias relacionadas ao aumento abusivo do preço de combustível.

De acordo com a diretora do Procon, Claudia Silvano, o órgão está recebendo as denúncias terão tratamento coletivo. “Vamos analisar cada caso e se for comprovada a cobrança abusiva os estabelecimentos podem ser multados e sofrer outras sanções”, afirmou.

Ela disse que é considerada prática abusiva quando os estabelecimentos aumentam o preço do produto de forma injustificada, aproveitando-se de uma determinada situação. “Por isso é preciso uma vistoria minuciosa para saber quanto o dono do estabelecimento pagou pelo produto e se o preço aplicado ao consumidor é realmente abusivo ou não”, disse.

Como denunciar

O Procon-PR orienta que os consumidores devem exigir a nota fiscal com o valor pago por litro de combustível e a quantidade abastecida para possível comprovação de preço abusivo.

As denúncias podem ser feitas pelo site ou pelo telefone 0800-411512. Também é possível denunciar na sede do Procon-PR, em Curitiba, na Rua Emiliano Perneta, número 47, no Centro. O atendimento é feito das 9h às 16h.