Após denúncia de médicos, maternidade do HC pode ser interditada

Brunno Brugnolo - Metro Curitiba

O Conselho Regional de Medicina do Paraná abriu um indicativo de interdição ética na Maternidade Victor Ferreira do Amaral.

O CRM-PR (Conselho Regional de Medicina do Paraná) abriu ontem um indicativo de interdição ética na Maternidade Victor Ferreira do Amaral – a mais antiga do estado – dando prazo de 90 dias para a instituição sanar as irregularidades verificadas em fiscalização. A decisão do ato foi aprovada por unanimidade na noite de segunda-feira (11) em reunião do conselho.

Segundo o órgão, em novembro do ano passado a maternidade passou por vistoria os problemas foram detectados, como falta de profissionais para suprir escalas de trabalho, médicos sendo alocados para responder por serviços distintos e simultâneos e inexistência de neonatologia (atendimento aos recém-nascidos) para prestar cuidados de modo contínuo.

As denúncias foram feitas no 2º semestre de 2017 pelo próprio corpo clínico da maternidade, principalmente ginecologistas e pediatras. Na parte estrutural disponível, contudo, não foram detectadas anormalidades.

Para o CRM-PR, os problemas “comprometem o trabalho dos médicos e demais profissionais e colocam em risco a vida dos pacientes que ali buscam assistência”. Se não forem adotadas medidas para regularizar a situação nos próximos três meses, a instituição será efetivamente interditada e ficará proibido o exercício da atividade médica.


Em nota, a superintendência do Complexo Hospital de Clínicas, responsável pela maternidade, informou que a instituição continua realizando todos os atendimentos normalmente e de forma segura, sendo que providências cabíveis estão sendo tomadas visando atender os apontamentos do CRM-PR.

Em junho de 2016, o próprio Hospital de Clínicas recebeu alerta de interdição, sobretudo pela falta de médicos e enfermeiros, que foi suspenso em março de 2017 após resolução das demandas.

A maternidade

Fundada em 1913, a Maternidade Victor Ferreira do Amaral passou por dois endereços no Centro até 1930, quando foi instalada na Av. Iguaçu, na Água Verde, onde está até hoje – entre 1991 e 2001 ficou desativada.

Desde 2015 faz parte do Complexo Hospital de Clínicas da UFPR, sob administração da Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), vinculada ao Ministério da Educação. Por ano, faz cerca de 2,8 mil partos.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook