Pinguins são encontrados mortos na Ilha do Mel

Mariana Ohde


Vários pinguins foram encontrados mortos na Ilha do Mel neste domingo (26). O acontecimento é normal, segundo a bióloga Camila Domit, do Centro de Estudos do Mar, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Nas últimas semanas, foram encontrados outros animais na região, entre eles, uma baleia jubarte.

Segundo Camila, há três explicações para o aparecimento dos pinguis: a quantidade maior de pinguins no Litoral nesta época, por causa da migração, a idade dos animais que, quando jovens, não detêm energia suficiente para sobreviver a períodos de escassez, e a pesca, pois muitos animais acabam sendo mortos em redes ou outras circunstâncias relacionadas.

Outro fator é o clima – as frentes frias acabam levando os animais mortos até a praia.

“A ocorrência de pinguins, nessa época, é bastante comum. Os pinguins de Magalhães vêm da região sul da Argentina, onde estão as áreas reprodutivas, e durante este período eles migram em busca de alimento”, explica a bióloga.

Os animais vêm em busca de temperaturas mais amenas e alimento. Os mais jovens, porém, quando há escassez ou competição por comida, acabam morrendo por inanição.

“Obviamente, também tem uma interação destes animais com a pesca e eles podem acabar capturados em redes de pesca, mas o grande problema mesmo é a quantidade desses animais nessa época do ano”, completa Camila.

Já as condições do tempo são as responsáveis por trazer os animais mortos até a praia. “Sempre que frentes frias chegam ao litoral, a tendência é que as carcaças cheguem à costa, nas zonas de praia. É isso que vem acontecendo”, explica Camila.

Abundância de fauna é normal de maio a setembro ou outubro. Neste ano, segundo Camila, a diferença é que o número de animais encontrados nas praias é maior.

“A gente entende que isso tem relação com esse frio maior, massas de água fria, que tem banhado a nossa costa, e o fato de essa intensidade de vento e direção de ondas, que jogam as carcaças para a praia”.

“A gente teve muitos animais encalhados neste último mês. Possivelmente por conta desses três fatores”, afirma. Camila coordena um projeto que vem monitorando o encalhe de mamíferos, tartarugas e aves no Litoral desde 2007.

As imagens foram divulgadas nas redes sociais pela página Nosso Litoral:

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal