57% dos homicídios de Curitiba foram solucionados até julho deste ano

Redação

Maconha - Drogas - Quadrilha - Fronteira

A solução de homicídios em Curitiba tem registrado bons números nos primeiros sete meses deste ano. Segundo dados da SESP-PR (Secretaria de Estado de Segurança Pública), 57% desses casos foram solucionados pela PCPR (Polícia Civil do Paraná) neste período.

A Secretaria aponta ao aumento do banco de dados para o serviço de inteligência da Polícia Civil como principal causa desse índice. Em todo ano de 2018, apenas 37% dos homicídios foram solucionados.

A melhora do banco de dados teve como foco as informações sobre organizações criminosas. A observação das forças de segurança é de que a maioria dos homicídios na cidade está diretamente ligada ao tráfico ou uso de drogas.

“Além da utilização de programas de inteligência, a gente foca em identificar os chefes de quadrilha de determinadas regiões que mandam matar ou matam as vítimas. Muitas vezes a pessoa é suspeita por diversos homicídios que estão sendo investigados ao mesmo tempo”, explica a delegada da PCPR, Camila Cecconello.

PERFIL DOS HOMICÍDIOS

97,5% dos 82 homicídios solucionados em Curitiba neste ano foram cometidos por homens. Em apenas duas ocasiões a autora do crime foi uma mulher. Já o perfil das 143 vítimas totais na capital paranaense é de 10 mulheres e 133 homens.

Dentro desse número, a Secretaria coloca que 78% dos homicídios (110 casos) tiveram ligação com o crime de tráfico de drogas. “Os chefes desses grupos estão ligados ao tráfico de drogas e matam por domínio de território”, afirma Cecconello.

Outro avanço da Polícia Civil do Paraná foi em relação a solução de homicídios de anos anteriores. Em 2018, foram elucidados 37% casos, enquanto nos sete primeiros meses de 2019 foram encerrados com sucesso 42% das ocorrências do ano anterior (18) na capital paranaense. Ao todo 52 assassinatos cometidos entre 2010 e 2018 tiveram esclarecimento.

Previous ArticleNext Article