PF deflagra nova fase de operação que prendeu o traficante Cabeça Branca

Mariana Ohde


A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta manhã (22) mais uma fase da Operação Spectrum, que levou à prisão o traficante internacional Luiz Carlos da Rocha, conhecido como Cabeça Branca.

A Operação Sem Saída, como foi chamada a nova fase, cumpre mandados no Paraná e Mato Grosso. São 18 mandados em Curitiba e em Brasnorte, Tapurah, Juara, Nova Maringá e Cuiabá, todas no Mato Grosso. Entre os mandados, estão dois de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão. O objetivo é coletar provas da prática de crimes como lavagem de dinheiro, organização criminosa, associação para o tráfico internacional de drogas.

Segundo a PF, somente na Sem Saída, os valores envolvidos chegam a R$ 100 milhões de reais – entre os bens, há uma fazenda de 11 mil hectares.

Ainda de acordo com a PF, esta é a maior operação da história da polícia relacionada à desarticulação patrimonial de uma organização criminosa com atuação no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

O nome Sem Saída, segundo a polícia, “é uma alusão ao fato de que todos aqueles que participaram da organização criminosa ou de alguma forma se associaram a Luiz Carlos da Rocha serão identificados e responsabilizados, pois todas as informações levantadas no curso das investigações estão sendo minuciosamente analisadas, não deixando saída para tais suspeitos”.

Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Spectrum

A Sem Saída é a quarta fase da Operação Spectrum. Até o momento, foram arrecadados aproximadamente R$ 500 milhões em valores que estavam em posse da organização criminosa que é alvo da polícia e é comandada por Cabeça Branca. Os valores correspondem a bens registrados no Brasil apenas.

Entre os bens sequestrados pela PF estão 16 fazendas que, somadas, representam uma área de aproximadamente 40 mil hectares no Mato Grosso.

A ação é realizada em parceria com a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Senad). A parceria já resultou, segundo a PF, no encerramento de 41 empresas, apreensão de 42 mil cabeças de gado e o sequestro de 31 fazendas em solo paraguaio.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal