Paraná discute ampliação no atendimento de pacientes com obesidade e diabetes Tipo 2

Redação


As alternativas para melhorar o atendimento nos serviços de cirurgia bariátrica pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a realização de cirurgias por videolaparoscopia e o acesso a cirurgia metabólica para os pacientes com diabetes tipo 2 estão entre os temas que serão debatidos entre os dias 15 a 18 de maio, no XX Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, em Curitiba.     A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) espera reunir mais de 1,5 mil profissionais do Brasil e do mundo para discutir os tratamentos para a doença.

O custo da obesidade é alto no Brasil, chega à 2,4% do PIB e está estimado em R$ 84,3 bilhões/ano. Aliada a isso, existem os custos das doenças associadas à obesidade como diabetes , hipertensão e cardiopatias.   “Precisamos democratizar o acesso à cirurgia bariátrica e metabólica, oferecendo o melhor tratamento para o grande número de pessoas que necessitam de atenção e tem sua qualidade e expectativa de vida reduzidas”, afirmou o presidente da SBCBM, Marcos Leão Vilas Boas.

A ampliação do acesso aos tratamentos , especialmente pelo SUS, foi tema de reunião recente entre a Diretoria de Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), e o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no último dia 29 de abril, em Brasília.  O Brasil conta com 85 hospitais que possuem assistência de alta complexidade ao indivíduo com obesidade em 22 estados. O número de cirurgia realizadas via planos de saúde, em 2017, foi de aproximadamente 70 mil cirurgias no país e pelo SUS apenas 10 mil procedimentos.

Curitiba está entre as sete cidades do Brasil com maior número de pacientes com Diabetes Tipo 2 – a forma mais comum da doença que afeta geralmente pessoas obesas ou com excesso de peso – totalizando cerca de 41 mil pessoas diagnosticadas. No Paraná, os dados do Ministério da Saúde dão conta de que existem aproximadamente 215 mil diabéticos.  “Precisamos informar as entidades e aos pacientes que estes procedimentos podem melhorar a qualidade de vida, reduzir custos e mortalidade”, informou Marcos Leão.

O número de pessoas com diabetes cresceu 60% nos últimos dez anos no Brasil. São quase 14 milhões de casos e a doença é responsável por mais de 100 mil óbitos por ano no país.
A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) acaba de lançar uma campanha com o slogan “Cirurgia Metabólica, uma Nova Vida para pacientes com Diabetes Tipo2”. O objetivo é informar a população sobre as causas, riscos e tratamentos para a Diabetes Tipo 2 (DMT2).

Custos da Obesidade

Em 2017 cerca de 39,5 milhões de brasileiros foram diagnosticados com obesidade, quantia 78% maior que em 2006. Além disso, 69.3% do total de mortes são atribuídos a doenças crônicas não transmissíveis, como doenças cardiovasculares (30,4%), neoplasias (16.5%), doenças respiratórias (6,0%) e o diabetes (5,3%) – muitas associadas à obesidade.

A cirurgia realizada imediatamente após sua indicação contribui para a cura ou remissão de diversas doenças associadas à obesidade como, por exemplo, a hipertensão, problemas nas articulações, coluna e diabetes tipo 2.

Previous ArticleNext Article