Justiça começa a ouvir testemunhas do caso Tatiane Spitzner

William Bittar - CBN Curitiba


A juíza Paola Gonçalves Mancini da 2ª Vara Criminal de Guarapuava, na região central do Paraná, começa a ouvir hoje as testemunhas no caso envolvendo a morte da advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos. Este é o primeiro dia de audiências e serão ouvidas 15 pessoas, arroladas como testemunhas no processo.

Uma das testemunhas será ouvida via Carta Precatória, pois mora em Colombo, na região metropolitana de Curitiba.

Na quinta-feira (13), além das testemunhas de defesa, a juíza interrogará o biólogo Luis Felipe Manvailer, de 32 anos, marido de Tatiane e que é réu por homicídio qualificado por motivo torpe, uso de meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e condição do sexo feminino (feminicídio), além de fraude processual e cárcere privado.

A jovem foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho, no apartamento onde morava com Manvailer. Segundo os laudos do Instituto Médico-Legal (IML), o professor matou Tatiane por esganadura. Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Paraná, após matar a jovem, Manvailer jogou o corpo da sacada do quarto andar do prédio, para simular um suicídio e logo depois arrastou a esposa para dentro do apartamento antes de tentar fugir.

Manvailer nega as acusações e na única vez que prestou depoimento, um dia após a morte de Tatiana, afirmou que a advogada se jogou da sacada.

Câmeras de segurança do prédio flagraram os minutos que antecederam a morte da jovem. Os vídeos mostram Manvailer agredindo violentamente a esposa, dentro do carro, na garagem e no elevador.

Nesta terça-feira (11), serão ouvidas as testemunhas de acusação, entre elas, policiais que trabalharam na investigação do caso e vizinhos do prédio.

As audiências estão marcadas para começar às 13h30 no Fórum de Guarapuava. Após todas as testemunhas e o réu serem ouvidas, a juíza responsável pelo caso vai decidir se Luis Felipe Manvailer vai ou não a júri popular.

Manvailer segue detido na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG).

Previous ArticleNext Article