Onça nascida em refúgio é batizada Cacau em concurso com 30 mil votos

Mariana Ohde


Por Metro Curitiba

A primeira onça nascida no Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu, vai se chamar Cacau. A escolha foi feita pelo público, que votou entre os dias 21 e 31 de julho pela internet. O anúncio foi feito ontem pelo refúgio. De um total de 28.927 votos, 20.322 ou 70,25% foram para Cacau.

O segundo nome mais votado foi Gaia (12%) e depois vieram Jade (7%), Amora (6,5%) e Bela (4%).

“O concurso atingiu pelo menos dois grandes objetivos: mostrou o que Itaipu faz em favor da fauna nativa e deu ainda mais visibilidade a esse grande atrativo da usina, que é o Refúgio Biológico Bela Vista”, disse o diretor-geral brasileiro da Itaipu e entusiasta da campanha para a escolha do nome da oncinha, Luiz Fernando Leone Vianna.

Com sete meses de idade, Cacau é um caso raro de nascimento em cativeiro da espécie no mundo e o primeiro caso bem-sucedido de reprodução de onças no RBV. Foram diversas tentativas nos últimos 14 anos, até que Nena, onça-preta de três anos e Valente, onça-pintada de nove anos, geraram dois filhotes no dia 28 de dezembro do ano passado: Cacau e outra fêmea, que morreu três dias depois do nascimento.

Nena chegou ao RBV em agosto do ano passado, após ser doada pelo Criadouro Científico Instituto Onça-Pintada, de Goiás. Já Valente é morador antigo do local. Assim como a mãe, Cacau é melânica, ou seja, tem a pigmentação negra em função da quantidade de melanina, mas ambas são da mesma espécie que o pai, a Panthera onca.

Concurso

Os cinco nomes escolhidos para a votação popular foram definidos por uma comissão julgadora a partir de sugestões postadas na campanha feita pela Itaipu nas redes sociais. Todos os cinco autores ganharam passeios aos atrativos turísticos de Foz do Iguaçu.

Entre os dias 10 e 15 deste mês, eles devem participar da solenidade de premiação. Além disso, a ganhadora do concurso, Meiriele Maria Ribeiro Minhuk, de Ribeirão Preto (SP), vai ganhar um Iphone 6 e o status de madrinha da filhote.

Visitação

Importante centro de pesquisas e desenvolvimento de projetos, o RBV é aberto à visitação de terça-feira a domingo, em seis horários: 8h30, 9h30, 10h30, 13h30, 14h30 e 15h30.

O passeio dura aproximadamente duas horas e meia. No local são mais de 380 animais, incluindo Valente, Nena e Cacau. Mãe e filha ocupam o recinto (onde é possível vê-las) nas segundas, quartas, quintas-feiras, sábados e domingos. Na terça-feira e sexta-feira, é a vez de Valente.

O revezamento acontece para garantir a integridade das onças, já que a exemplo do que ocorre na natureza, o pai não desenvolve instintos para cuidar dos filhotes e pode machucá-los.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="445659" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]