Líderes de quadrilhas são alvos de operação contra o tráfico de drogas

Mariana Ohde e Ricardo Pereira - BandNews FM Curitiba


Sete pessoas apontadas como chefes de três diferentes quadrilhas de traficantes de drogas, que atuam principalmente no Litoral do Paraná, estão na mira da Operação Praia Limpa, deflagrada nesta terça-feira (4) pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), unidade da Polícia Civil.

Mais de 80 policiais civis participam da ação. São 33 mandados judiciais, sendo sete de prisão preventiva e outros 26 de busca e apreensão. A operação acontece em Matinhos e Pontal do Paraná.

Segundo a polícia, as quadrilhas atuam de forma independente no tráfico de vários tipos de drogas – maconha, cocaína e drogas sintéticas. Além dos crimes de tráfico de drogas e organização criminosa, existe a suspeita de que estas quadrilhas possam estar envolvidas em homicídios contra rivais.

Em arquivos encontrados nos celulares apreendidos durante a investigação, foram apuradas conversas sobre a venda de maconha, cocaína e também armas de grosso calibre.

Segundo o delegado Rodrigo Brown, do Cope, as investigações já estavam em andamento, mas a operação precisou ser antecipada após a morte do policial civil Jorge Brito, que foi baleado no último sábado (1º) e morreu ontem (3), no hospital. Ele foi atingido por pelo menos três tiros disparados por um homem suspeito de atuar no tráfico.

“Isso prejudicou as apreensões, devido ao grande movimento de policiais aqui no Litoral desde a morte do Brito. A maioria dos marginais acabou escondendo as drogas e armas, mas, mesmo assim, tínhamos uma investigação firma e concreta”, explica o delegado. “Conseguimos cumprir a maioria dos mandados de prisão, alguns foram autuados em flagrante”.

Em conversas gravadas pela polícia, integrantes pediam cuidado, por causa da presença dos policiais. “Não leve nada para vender. O Leandro falou, se tiver que esperar essa temporada para vender as coisas, espera. Não leva nada”, diz uma mulher em uma das conversas registradas.

A Operação Praia Limpa conta com o apoio da Divisão de Narcóticos (Denarc), da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de policiais civis da Subdivisão da Delegacia de Paranaguá e do Grupo Tático Integrado Grupo de Repressão Especial (TIGRE).

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="550792" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]