Academias de Curitiba deverão aceitar questionários PAR-Q

A proposta altera o artigo 1º da lei municipal 13.559/2010, que exige a apresentação de atestado médico para a realização de matrículas.

Redação - 20 de maio de 2022, 16:05

(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

As academias de Curitiba deverão aceitar os questionários no modelo PAR-Q para a entrada de novos alunos. O projeto de lei, de autoria do vereador Marcelo Fachinello (PSC), foi aprovado pela Câmara Municipal de Curitiba e aguarda sanção do prefeito Rafael Greca (União Brasil). 

A proposta altera o artigo 1º da lei municipal 13.559/2010, que exige a apresentação de atestado médico para a realização de matrículas. A mudança coloca o questionário PAR-Q como opção para pessoas com idade entre 18 e 60 anos e não gestantes

“Curitiba só tem a ganhar com a inclusão do PAR-Q como opção para o ingresso em academias de ginástica da capital. Com a atualização da legislação de Curitiba, simplificamos esse processo, como já foi feito em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, entre outras. Nosso objetivo é dar subsídios para que a prática de atividade física seja cada vez maior entre os curitibanos”, afirma o vereador Marcelo Fachinello. 

Fachinello lembra, ainda, que o projeto não exclui o atestado médico, mas apresenta uma alternativa. De acordo com Gustavo Brandão, presidente do CREF-PR (Conselho Regional de Educação Física do Paraná), a iniciativa traz benefícios. 

“Os profissionais de Educação Física são aptos a realizar esse questionário com total segurança. Além disso, sendo identificado qualquer indício que possa prejudicar esse aluno, faremos questão de encaminhá-lo ao médico para uma avaliação”, conta Gustavo.

O QUE É O QUESTIONÁRIO PAR-Q

O questionário PAR-Q vem de uma sigla do inglês: Physical Activity Readiness Questionnaire, cuja tradução se dá por 'Questionário de Prontidão para Atividades Físicas'. 

Desenvolvido pela Sociedade Canadense de Fisiologia do Exercício, o questionário tem sete perguntas que avaliam o histórico médico do paciente, como se sente dores no peito, perda de consciência, tontura ou problemas articulares.

Se a resposta para todas as questões for "não", o paciente estará apto a entrar numa academia sem necessidade de atestado médico.