Ação com presos de Maringá leva prêmio nacional

Andreza Rossini


Do Metro Maringá

Um projeto de trabalho para detentos na PEM (Penitenciária Estadual de Maringá), no norte do Paraná, venceu na última terça o prêmio Innovare – honraria nacional para iniciativas no Judiciário – na categoria Justiça e Cidadania.

Na iniciativa “Visão de Liberdade”, que funciona desde 2004, detentos da unidade produzem materiais didáticos para alunos cegos da rede estadual. O material é distribuído para 127 municípios.

Segundo o Depen (Departamento Penitenciário do Paraná), os detentos já fabricaram 84.820 trabalhos de material didático em relevo, 453 livros e 54 apostilas digitados, além de 126 livros falados e 12 apostilas, com tiragem de 175 cópias cada.

São livros digitados para impressão em braille, livros falados, maquetes e jogos adaptados para cegos. “Projetos como o Visão de Liberdade merecem destaque porque é extremamente necessário dar ao detento condições de se tornar um indivíduo melhor e pronto para voltar a viver em sociedade”, diz o coronel Antonio Tadeu Rodrigues, idealizador do projeto e presidente do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) de Maringá.

A premiação ocorreu na última terça no STF (Supremo Tribunal Federal), em Brasíli, e o projeto paranaense concorreu com outras 710 iniciativas nesta categoria. O Innovare também distribuiu prêmios nas categorias nas categorias Tribunal, Juiz, Ministério Público, Defensoria Pública e Advocacia, além do Justiça e Cidadania

Previous ArticleNext Article