ACP lamenta novo decreto do Paraná e critica irresponsabilidade de parte da população

Redação

comércio paraná decreto acp

O presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Camilo Turmina, lamentou que o governo estadual tenha sido obrigado a tomar duras medidas restritivas no decreto publicado hoje para conter o aumento de casos de covid-19. Durante a manhã, o governador Ratinho Junior (PSD) anunciou lockdown no Paraná até o dia 8 de março.

A partir da meia-noite estão proibidas a circulação de pessoas entre 20h e 5h, além do consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas. Com as determinações, o comércio volta a fechar as portas por conta do coronavírus. Apenas serviços essenciais, como mercados, açougues, panificadoras, farmácias e serviços de saúde, por exemplo, podem funcionar nesse período.

“Fica claro que parte da população não se conscientizou, não soube manter o distanciamento. A imprensa tem registrado aglomerações em festas, cultos religiosos. Houve também muito descuido e irresponsabilidade no carnaval”, afirmou ele.

Em Curitiba, por exemplo, um culto com mais de 2 mil pessoas foi interrompido por equipes da Guarda Municipal, Polícia Militar e Secretaria de Urbanismo na última quinta-feira. Os promotores do evento religioso foram multados em R$ 150 mil e tiveram que assinar termo circunstanciado. O novo decreto do governo do Paraná levou isso em conta e permitirá apenas cultos onlines.

O presidente da ACP também destacou que o comércio procurou cumprir de forma rigorosa os protocolos sanitários. A maioria das lojas controlaram a circulação de clientes e mantiveram um ambiente controlado.

“Não há transmissão no comércio, justamente o setor que mais tem sofrido com as medidas restritivas. Vai ser mais um período de grande sacrifício, colocando em risco a sobrevivência de muitos negócios. Esperamos a sociedade possa conciliar saúde com funcionamento da economia. E esperamos também que as autoridades do país resolvam a questão da imunização da população o quanto antes. A vacina não pode continuar chegando a conta gotas”, ressaltou.

VACINAÇÃO DA COVID-19 NO PARANÁ

Desde o início da campanha de vacinação até esta sexta-feira (26) o Paraná vacinou 297.611 cidadãos. Ao todo, 396.049 doses foram aplicadas, das quais 98.438 se referem à dose de reforço.

Até agora, o Estado recebeu do Ministério da Saúde um total de 706.200 doses, somados os imunizantes CoronaVac e AstraZenca/Oxford. O governo do Paraná segue pressionando o Ministério por mais imunizantes enquanto tenta controlar o aumento dos casos com o novo decreto.

Conforme o boletim desta sexta-feira, o Paraná acumula 633.525 casos e 11.452 mortes por covid-19. 94% das UTIs estão ocupadas.

Previous ArticleNext Article