Adolescentes envolvidos no atentado em escola de Medianeira são condenados

Redação


Os dois adolescentes envolvidos no ataque ao Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira, no Oeste do Paraná, foram condenados a cumprir medidas socioeducativas pela tentativa de homícidio e por resistirem à prisão. A sentença foi publicada pelo juiz da Vara de Infância e Juventude, Hugo Michelini Júnior, na última quarta-feira (31), segundo o G1.

Condenados, os adolescentes estão no Centro de Socioeducação de Foz do Iguaçu, também no oeste paranaense, e devem passar por avaliações a cada seis meses. Na sentença, o juiz determina que ambos fiquem internados por tempo indeterminado, porém, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) estabelece que o prazo máximo é de três anos. As defesas devem recorrer.

O ataque

Os dois adolescentes, do 1º ano do Ensino Médio, planejaram e atacaram colegas da escola na manhã do dia 28 de setembro. Segundo a Polícia Militar, o adolescente de 15 anos estava com um revólver calibre 22 e o outro com uma faca. Eles entraram em uma sala de aula e efetuaram os disparos. Os estudantes começaram a correr e um deles foi baleado nas costas e outro com um tiro de raspão na perna. As duas vítimas atingidas se recuperaram do ataque.

 

Os dois estudantes se esconderam em outra sala. No momento em que a Polícia Militar chegou, o aluno que estava armado atirou contra os policiais, que não se feriram. Além da arma, os policiais encontraram também bombas caseiras.

Um dos adolescentes envolvidos na situação gravou vídeos antes do ataque afirmando que foi humilhado e ameaçado pelos colegas nas escola. Ele pediu desculpas aos familiares das possíveis vítimas e ao incômodo que causaria para a polícia e médicos que atenderiam os feridos. As aulas ficaram suspensas por dois dias e retornaram com medidas para garantir a segurança no local e também combater ao bullying.

 

 

Previous ArticleNext Article