Agente carcerário que cobrava até R$ 3 mil por encomenda é preso em Londrina

Um agente carcerário que atuava na Casa de Custódia de Londrina, no norte do Paraná, foi preso nesta quarta-feira (15) p..

Redação - 15 de dezembro de 2021, 15:11

Reprodução
Reprodução

Um agente carcerário que atuava na Casa de Custódia de Londrina, no norte do Paraná, foi preso nesta quarta-feira (15) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público, suspeito de cobrar propina para facilitar a entrada de produtos ilícitos.

O agente é suspeito da prática dos crimes de associação para o tráfico, tráfico ilícito de entorpecentes, corrupção ativa, corrupção passiva e ingresso de aparelhos celulares no interior da unidade prisional. As informações são do Tarobá News.

De acordo com as investigações, o homem, que atuava como agente prisional temporário, fazia cobranças entre R$ 1 mil e R$ 3 mil para que os detentos recebessem itens como aparelhos celulares, drogas e cigarros na carceragem.

Além da prisão temporária, válida por cinco dias, o Gaeco cumpriu mandados de busca e apreensão na Casa de Custódia de Londrina e endereços relacionados ao suspeito.

A direção da carceragem apreendeu aparelhos celulares, maconha e fumo inseridos ilegalmente no local.

Nesta terça-feira (14), um dia antes de ser preso, o mesmo agente carcerário foi flagrado por outros funcionários da Casa de Custódia de Londrina tentando ingressar com pacotes de fumo acondicionados em um fundo falso de uma embalagem de sorvete.

As investigações continuam para descobrir se há outros envolvidos no esquema além do agente carcerário.