Alcorão é queimado em mesquita de Ponta Grossa

Um caso de ataque ao livro sagrado dos islâmicos, o Alcorão, em uma mesquita de Ponta Grossa, está sendo considerado com..

Martha Feldens - 27 de novembro de 2021, 13:41

Reprodução Instagram
Reprodução Instagram

Um caso de ataque ao livro sagrado dos islâmicos, o Alcorão, em uma mesquita de Ponta Grossa, está sendo considerado como islamofobia pelas autoridades religiosas locais. A Mesquita Imam Ali, que fica na Rua do Rosário, centro de Ponta Grossa, publicou na sua conta do Instagram uma nota de repúdio ao ato que deixou o livro queimado na sexta-feira. Segundo a nota, o local foi invadido, na madrugada de sexta-feira (26). Os invasores queimaram o Alcorão e sujaram paredes do local.

Veja a nota sobre o Alcorão queimado

 

Monitor de notícias do mudo islâmico reproduz nota sobre ataque

O Farol, monitor de noticias do mundo islâmico, repercutiu o ataque em Ponta Grossa.

"Nesta sexta-feira (26), na cidade do interior do Paraná, Ponta Grossa, a mesquita Imam Ali sofreu uma ataque Islamofóbico.  A mesquita foi invadida por criminosos que atearam fogo no alcorão, livro sagrado para os muçulmanos.

A direção emitiu uma nota na qual lamenta o ocorrido informando que a mesquita foi invadida por pessoas desconhecidas. Além da destruição do alcorão, sujaram as paredes do templo religioso.

Ainda na nota, os responsáveis pela mesquita afirmaram que ocorreu um crime de intolerância religiosa, “esse é um crime hediondo. Não atingiu apenas o #islã, mas todas crenças religiosas”.

Essa já não é vez primeira vez que a mesquita sofreu ataques. Em 2015 homens invadiram o templo, destruiram móveis, livros religiosos e lustres na sala de orações.

A mesquita Imam Ali e a Sociedade Beneficente Muçulmana de Ponta Grossa têm mais de 46 anos. Aproximadamente 150 pessoas na cidade seguem a religião muçulmana e frequentam o templo que preserva e divulga a cultura e a religião Islâmica," diz a nota do Farol no Instagram.