Boato sobre aluno armado causa pânico, mas universidade de Maringá desmente caso

Vinicius Cordeiro


A Uningá, centro universitário de Maringá, na região noroeste do Paraná, negou que um suposto aluno de medicina estaria armado no campus na manhã desta quarta-feira (8).

A Polícia Militar foi acionada e fez buscas para tentar localizar o estudante, mas sem sucesso. O suspeito passou a compartilhar mensagens bizarras em diversos grupos de WhatsApp, como “Eu sou rei sol do Japão, filho de israel, protetor da liberdade, e amo Brasil acima de tudo, Deus cima de tudo, Amém”, gerando um pânico coletivo em quem estava na universidade.

Diversos alunos relataram terem visto o rapaz, que ainda não foi encontrado

Apesar dos alunos terem sido liberados nesta manhã, as atividades acadêmicas serão mantidas pela universidade.

Confira a nota da Uningá na íntegra:

“Estamos apurando os fatos relativos a supostas mensagens que circularam por aplicativo de mensagens, que na manhã desta quarta-feira 08 de maio, causaram preocupação à comunidade acadêmica.

Segundo o que foi apurado até o momento, não há motivos para preocupação, sendo que as atividades acadêmicas estão mantidas e serão realizadas regularmente.

Afirmamos serem absolutamente inverídicas as noticias veiculadas pela imprensa e aplicativos de mensagens, sobre suposta ocorrência com arma de fogo no campus da UNINGÁ.

De todo modo, estamos reforçando medidas para garantir a segurança de todos no campus da Instituição.”

Previous ArticleNext Article