Apesar do otimismo, movimento do Dia dos Pais ainda é baixo no comércio

Mariana Ohde


As vendas de Dia dos Pais podem continuar baixas neste ano. Embora uma pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio) tenha apontado, no início do mês, que o número de paranaenses que pretendem presentear os pais neste ano deve crescer 7% em relação ao ano passado, os curitibanos entrevistados pela reportagem da CBN Curitiba não demonstraram muito otimismo.

É o caso da psicóloga Joana Silva, que conta que vai precisar economizar. “O ano passado foi R$ 100, agora será R$ 25”, conta, referindo-se ao valor do presente. A estudante Ilma dos Santos também vai comprar um presente mais barato – entre R$ 50 e R$ 100. “A gente vai economizar um pouquinho. O que estamos pensando é em almoçar fora, aproveitar o dia e completar com o almoço”, conta.

As lojas também sentem o impacto da crise e registram vendas abaixo do esperado. Em uma livraria do centro da cidade, a vendedora Silvia Prado conta que as esperanças estão nas nas vendas de última hora. “A gente está apostando mais no final de semana. Deu uma melhorada nesta semana, mas ainda não é o que a gente estava esperando. A gente espera que no final de semana – aquele jeitinho brasileiro, de deixar tudo para a última hora – a gente consiga dar uma alavancada nas vendas”, brinca.

Segundo o levantamento da Fecomércio, 68% dos paranaenses devem presentear os pais no domingo (14).

Entre eles, 56% afirmam que vão gastar entre R$ 50 e R$ 100 no presente, enquanto 24% apontam gastos entre R$ 101 e R$ 150. 10% pretendem pagar entre R$ 151 e 200 e outros 10% esperam gastar mais de 200. O valor médio ficou em R$109,75 – em 2015 foi de R$104,50.

Os presentes mais citados foram roupas e calçados, apontados por 61% dos entrevistados. Aparelhos eletrônicos, como tablets e celulares, serão a segunda escolha dos filhos, com 7%. Os que citaram que presenteariam com outra coisa são 13%.

A pesquisa revela, ainda, que 47% dos consumidores vão optar por compras à vista. O pagamento no vencimento do cartão de crédito deve ser a escolha de 19%, enquanto o parcelamento no cartão foi apontado por 31% dos que disseram que vão presentar. Os 3% restantes optarão por outras formas de pagamento.

(Com informações da CBN Curitiba e Fecomércio)

 

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="378220" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]