Apoiadores da Lava Jato marcam ato de repúdio ao STF em Curitiba

Vinicius Cordeiro


Foi marcado um protesto contra o Supremo Tribunal Federal neste domingo (17), no Centro de Curitiba. O ato se deve à votação dos ministros que deu competência à Justiça Eleitoral para investigar casos de corrupção da Operação Lava Jato que envolvam  caixa 2 e outros crimes comuns, como lavagem de dinheiro.

A manifestação, criada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e Curitiba Contra a Corrupção, está marcada das 15h às 17h15, na Boca Maldita. No evento criado no Facebook nesta sexta-feira (15), são 211 confirmados e 287 interessados.

A imagem convoca as pessoas com a seguinte mensagem: “A Lava Jato precisa de você”.

Decisão do STF

Foram dois dias de julgamento, que terminou com um placar de 6 a 5. Os ministros Marco Aurélio, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e o presidente do STF, Dias Toffoli, votaram a favor da Justiça Eleitoral. Já os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Carmen Lúcia foram derrotados ao tentar manter as investigações na Justiça Federal.

A Procuradoria-Geral da República, os membros da Lava Jato e o ministro da Justiça, Sergio Moro, posicionaram-se contra a decisão. Apesar de respeitarem a determinação, todos declaram que a Justiça Eleitoral não tem estrutura para julgar crimes complexos e há riscos de haver impunidade.

“Respeitamos a decisão do STF, mas persistimos no entendimento de que a Justiça Eleitoral, apesar de seus méritos, não está adequadamente estruturada para julgar casos criminais mais complexos, como de corrupção ou lavagem de dinheiro. Mas a decisão do STF será, como deve ser, respeitada”, declarou Moro nesta sexta-feira (15).

Leia também:

>>> Barroso e Dallagnol se manifestam contra decisão do STF sobre a Justiça Eleitoral

>>> Moro: Justiça Eleitoral não tem estrutura para julgar crimes complexos

Previous ArticleNext Article