Após 12 prisões, três vereadores abrem sessão na Câmara de Foz

Fernando Garcel


Após a prisão de 12 vereadores pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira (15), a sessão da Câmara de Foz do Iguaçu, município do Oeste do Paraná, foi aberta por três vereadores. O restante dos parlamentares foram presos durante a 5ª fase da Operação Pecúlio.

> Operação Pecúlio prende 12 dos 15 vereadores de Foz do Iguaçu

De acordo com o Regimento Interno da Casa, baseado no artigo 11, o vereador Dilto Vitorassi (PV) abriu a sessão ordinária e aguardou 20 minutos para encerra-la por falta de quórum. Além de Vitorassi, acompanharam a sessão os vereadores Nilton Bobato (PC do B) e Gessani da Silva (PP).

A próxima sessão acontece na terça-feira (20). Até lá, o departamento jurídico e legislativo da Câmara vai analisar o caso dos vereadores que foram levados pela PF. Eles possivelmente devem ser substituídos por suplentes em votações de projetos importantes para o município, entre eles a aprovação do Orçamento Municipal de 2017 previsto para ir à plenário na próxima quinta-feira (22).

Operação Pecúlio

A Operação Pecúlio foi deflagrada no dia 19 de abril e já teve quatro fases anteriores. A investigação tem mostrado que servidores públicos de várias secretarias municipais, diretores, agentes políticos, ex-secretários e empresários tinham um esquema montado para desviar dinheiro por meio de fraudes em licitações.

A estimativa da Controladoria-Geral da União é de que cerca de R$ 5 milhões foram desviados dos cofres públicos.

O prefeito afastado de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, se tornou alvo na etapa mais recente e a ação contra ele corre na Justiça Federal porque ele tem foro privilegiado. Ao todo, 11 suspeitos permanecem presos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="403693" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]