Após deslizamentos, ônibus com paranaenses fica ilhado na Argentina

Um grupo de 58 brasileiros, entre eles diversos paranaenses de diversas regiões do estado, a maioria de Maringá, no noro..

Andreza Rossini - 17 de janeiro de 2017, 16:42

Um grupo de 58 brasileiros, entre eles diversos paranaenses de diversas regiões do estado, a maioria de Maringá, no noroeste, estão há dois dias ilhados em uma estrada na Argentina.

O grupo que retornava de uma excursão ao Peru, saiu de São Pedro do Atacama, no Chile, no domingo (15) e precisou pegar um desvio devido a um desmoronamento que bloqueava a estrada. Ocorreram mais doze deslizamentos de terra na Argentina, devido as fortes chuvas que atingem a região, que bloqueou o grupo na cidade de Engenheiro Maury, eles seguiam para Salta.

De acordo com Paula Marroni que é de Maringá e está presa na estrada, o grupo aguarda socorro há 48 horas. "A promessa é que seremos liberados hoje", disse. Nas redes sociais, ela afirmou que existe um povoamento próximo que ainda tem comida.

A professora do departamento de história da Universidade Estadual de Maringá, Vanda Serafim, afirmou que as vítimas não receberam os suprimentos necessários. "As autoridades argentinas enviaram apenas alguns panetones e uma quantidade mínima e insuficiente de água. Tem outros ônibus que também precisam de apoio. Não existe uma estrutura de alimentação e nós temos muitos idosos e muitas crianças que estão passando necessidade, não apenas das excursões, mas também argentinos que estão na estrada", afirmou.

De acordo com Vanda, nem todos os viajantes conseguiram dar notícias aos familiares. "Nossa preocupação é de como essas informações podem estar chegando ou não chegando aos familiares. Na nossa excursão na medida do possível todos estão bem e saudáveis, mas nos outros ônibus exitem pessoas que precisam de ajuda e nada está sendo feito", alertou.

Para fazer a postagem e entrar em contato com a nossa equipe, a brasileira usou o roteador de internet de uma argentina, mas alertou "a qualquer momento ela pode sair de perto e minha bateria está acabando. Logo vamos ficar incomunicáveis novamente", avisou Paula.

"Pessoal, passando pra avisar que domingo houve desmoronamento em um ponto da estrada, pegamos um desvio vindo de são Pedro do Atacama e houveram mais doze desmoronamentos. É a segunda rodovia principal. Estamos impedidos de seguir ou voltar tem 48 horas aguardando socorro em engenheiro Maury, perto de salta, Argentina. A promessa é que seremos liberados hoje.

Se alguém puder compartilhar até chegar em alguma mídia ou autoridade a gente agradece, pois a mídia Argentina está abafando o caso. Estamos bem, na medida do possível. Ainda tem comida no povoado perto e o exército mandando água. Estamos em segurança e dormindo dentro do ônibus.

Beijos de luz pra gente", diz a postagem no Facebook

O Paraná Portal ainda não conseguiu entrar em contato como consulado do Brasil na Argentina. O Ministério das Relações Exteriores afirmou que recebeu informações do caso apenas pela imprensa e deve informar o posicionamento do caso em seguida.