Após pouso forçado em campo de futebol, helicóptero com drogas é apreendido no Paraná

Francielly Azevedo

Um helicóptero com mais de 118 kg de cocaína e 30 kg de crack foi apreendido, após fazer um pouso forçado, na noite desta segunda-feira (11), em um campo de futebol, em Cambará, no Norte Pioneiro. Segundo a Polícia Militar, o piloto e copiloto, de 19 e 38 anos, foram presos depois de tentarem comprar combustível para a aeronave em Ourinhos (SP).

“O combustível do helicóptero acabou e a dupla precisou fazer um pouso forçado num campo de futebol na cidade. Os suspeitos pularam o muro e pediram carona à moradores da região para chegarem a Ourinhos, em São Paulo, a fim de irem até um posto de combustíveis”, explicou o porta-voz do 2º Batalhão, tenente Renato Augusto.

Os homens foram até o estabelecimento e a PM do Paraná recebeu informações sobre a movimentação da dupla e o paradeiro do helicóptero. “Entramos em contato com o 31º Batalhão de Polícia Militar de São Paulo e compartilhamos a informação da ocorrência, sendo que uma equipe foi até o posto e abordou os suspeitos. Eles apresentaram versões contraditórias e teriam confirmado que transportavam drogas que seriam entregues em Guarujá, no estado paulista”, complementou o tenente.

A dupla foi levada até Cambará e os policiais militares paranaenses fizeram uma vistoria e encontraram dezenas de tabletes de crack e cocaína, já prontos para a venda. Segundo o tenente Renato, o piloto, de 19 anos, já tinha experiência com voo, mas não tinha passagens pela polícia. O copiloto, de 38 anos, é natural de Minas Gerais e tinha passagens por tráfico de drogas. Diante da situação, a dupla e a droga foram entregues à Polícia Civil para os procedimentos cabíveis. A aeronave vai ficar retida no Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) até a decisão judicial.


Post anteriorPróximo post
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Repórter do Paraná Portal e Rádio CBN. Tem passagens pela TV éParaná, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina.
Comentários de Facebook