Contra prova de PSS, Sindicato invade Secretaria da Educação do Paraná

Redação

Contra prova de PSS, Sindicato invade Secretaria da Educação do Paraná

Na manhã desta sexta-feira (30), integrantes da APP-Sindicato invadiram a Seed (Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná). Pelas redes sociais, o sindicato declarou que é contra a prova do PSS 2021, a terceirização dos funcionários e a implantação do modelo cívico-militar nos colégios do Paraná.

Durante toda a semana, professores do Estado tem demonstrado descontentamento com a possível implantação do novo modelo de ensino no Paraná. Na terça-feira (27), a APP protocolou uma ação contra o Governo por supostas ilegalidades cometidas na convocação de pais ou responsáveis para participar da consulta pública.

Um dia depois, o sindicato liberou um levantamento que apontava que 117 -de 216- colégios tradicionais selecionados para migrar para o modelo cívico-militar não atendem os requisitos exigidos pela legislação (leia aqui).

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta manhã, representantes da APP-Sindicato afirmaram que estavam em frente à Secretaria da Educação em um ato público para denunciar a violência que os professores sofrem.

“Já foi dito, inúmeras vezes, prova se for para concurso público. Foi anunciada também a terceirização dos nossos funcionários, mas nós queremos concurso público. Essa semana, também acompanhamos a implementação de um dos mais graves ataques a educação paranaense, que é o projeto de militarização das nossas escolas…que está aniquilando o ensino noturno”, disse Nádia Brixner.

Paraná Portal entrou em contato com a Seed , que afirmou que vem mantendo ao longo do ano diálogo cordial e transparente com os representantes sindicais. “A Seed estranha a radicalização por parte dos mesmos. Sobre as críticas feitas pela entidade, vale destacar que a Seed já havia conversado com os representantes dos professores sobre o processo seletivo simplificado e acatou algumas demandas propostas.”

Sobre a implantação dos colégios cívicos-militares, a Seed afirmou que todas as informações sobre o projeto que implementou e a consulta pública foram repassadas para a sociedade, em especial na discussão do tema na Assembleia Legislativa do Paraná.

Assista abaixo as reinvindicações da categoria!

Previous ArticleNext Article