Ar-condicionado sem limpeza é vilão da saúde respiratória, alerta especialista

Redação


Com o verão, os próximos dias devem ser de calor intenso em todo o Paraná. Nas últimas semanas, a máxima registrada foi de 43,9°C em Antonina, no Litoral, com a sensação térmica de 65,5°C, segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).

Com tanto calor, a venda de ventiladores já está acima da média e o uso de aparelhos de ar-condicionado deve ser outro complemento para aliviar a temperatura em empresas, lojas, supermercados e casas. Porém, a exposição ao ar-condicionado pode causar problemas à saúde respiratória quando os aparelhos estão sem a higienização adequada.

“Devido ao calor, é comum as pessoas ficarem com bastante frequência em ambientes com ar refrigerado. No entanto, isso pode provocar ressecamento das vias aéreas, causando sangramento nasal, além de favorecer o aparecimento de resfriados”, explica o médico otorrinolaringologista do Hospital Otorrinos Curitiba Diego Malucelli.

Além do ressecamento, o ar-condicionado pode acumular ácaros, bactérias, fungos e vírus. A limpeza regular dos filtros e do painel frontal do ar-condicionado deve ser feita, em média, pelo menos uma vez por mês. Já a limpeza completa do ar-condicionado deve ser realizada anualmente.

“Se não houver a limpeza do aparelho, estaremos respirando ‘ar sujo’ e de má qualidade. Pessoas que ficam expostas a esse ar estão mais suscetíveis a doenças respiratórias como rinite, sinusite, bronquite, pneumonia e infecções fúngicas de vias aéreas superiores”, acrescentou o especialista.

Use soro fisiológico

Para evitar o ressecamento das vias aéreas tanto pelo ar condicionado como pelo clima seco, a melhor maneira é usar soro fisiológico a 0,9%. “Ele limpa e umidifica, além de estabilizar o pH da mucosa nasal”, aconselhou Malucelli.

Previous ArticleNext Article