Em média, dois arrastões a ônibus são registrados por dia na capital

William Bittar - CBN Curitiba

arrastões assaltos transporte público de curitiba violência geraldoAGB

O número de arrastões no transporte coletivo em Curitiba caiu 38% no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Desde janeiro até junho, foram registrados 373 arrastões, contra 606 em 2018. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Paraná (SESP).

Mesmo com a redução, são registrados, em média, dois casos de arrastão por dia nos ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, segundo a Sesp.

O diretor do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Ari Dario Pereira, frisa que esse número é maior, mas muitas vítimas, por medo, acabam não registrando o boletim de ocorrência. “Esses 373 oficiais que a SESP passou, a gente sabe que muitos não viram boletim de ocorrência, então os números podem ser maiores”, disse.

Segundo o Sindimoc, o trecho com mais arrastões é entre o Sítio Cercado e o Boqueirão.

O diretor do Sindimoc ressalta que a preocupação é sempre com agressões contra motoristas, cobradores e passageiros do coletivo. “Alguns eventos de agressão sim. Mas as vezes o próprio operador agredido tem medo de levar para frente por receio de represálias. A gente percebe que a Polícia Militar tem conseguido prender esses criminosos, mas o problema é continuaram presos”, explica.

Dário Pereira ainda lembrou que é importante que todo caso de furto ou roubo dentro do ônibus seja formalizado, por meio de boletim de ocorrência para as forças policiais, para que a informação chegue às instituições envolvidas e as devidas providências possam ser tomadas.

Previous ArticleNext Article