Série de assaltos em residências preocupa no Paraná; seis já foram presos

Uma série de sete assaltos gera preocupação na comarca da Cidade Gaúcha, que abriga outras quatro cidades, na região nor..

Redação - 29 de fevereiro de 2020, 20:00

Divulgação/Prefeitura Cidade Gaúcha-PR
Divulgação/Prefeitura Cidade Gaúcha-PR

Uma série de sete assaltos gera preocupação na comarca da Cidade Gaúcha, que abriga outras quatro cidades, na região noroeste do Paraná, a 578 quilômetros de Curitiba.

O último roubo aconteceu na quinta-feira (20) da semana passada em Nova Olímpia. Os suspeitos renderam um casal dentro de casa e levaram mais de R$ 80 mil em joias, veículo, dinheiro em espécie e celular, conforme as informações da PCPR (Polícia Civil do Paraná).

De acordo com o delegado Lucas Magron, as investigações iniciaram em outubro. Desde então, acontecem, pelo menos, um roubo por mês. Seis suspeitos de associação criminosa já foram presos na região, mas existe a possibilidade de mais homens estarem envolvidos.

"Identificamos uma associação criminosa com oitivas e trabalho de inteligência. Eles usam capuzes, luvas e são bem preparados para não dar muitas pistas para as vítimas reconhecerem. São especializados nisso", explica ele.

OPERAÇÃO POLICIAL

No dia 24 de janeiro, a polícia deflagrou uma operação para cumprir dois mandados de prisão temporária, duas prisões preventivas e dois mandados de busca e apreensão. A ação deu certo, mas não evitou o roubo mais recente. O casal foi surpreendido e sofreu com o modus operandi: o grupo armado chega na residência encapuzado e torna os moradores reféns antes de amarrá-los.

Contudo, o último roubo teve a peculiaridade de ter sido cometido por apenas dois homens. "Pode se dar pela gente já ter desfalcado a associação ou porque são pessoas distintas. Estamos tentando estabelecer isso", complementa o delegado.

Além disso, a polícia trabalha com a hipótese que os homens usam os veículos e objetos roubados na troca por drogas e armas.

Por fim, o delegado faz um alerta à população. "As pessoas têm que manter os cuidados e estarem sempre atentas. Usar alarme e dificultarem ao máximo a ação dos criminosos para facilitar o trabalho da polícia", conclui.