Assessores parlamentares são suspeitos de cobrar por cirurgias do SUS

Redação

Um dos participantes do esquema teria exigido R$ 2 mil para agilizar uma cirurgia eletiva
Uma operação da PCPR (Polícia Civil do Paraná) deflagrada na manhã desta quarta-feira (2) mira assessores parlamentares suspeitos de cobrar por cirurgias realizadas no SUS

Uma operação da PCPR (Polícia Civil do Paraná) deflagrada na manhã desta quarta-feira (2) mira assessores parlamentares suspeitos de cobrar por cirurgias realizadas no SUS (Sistema Único de Saúde). Dois mandados de busca e apreensão devem ser cumpridos em Cascavel, na região oeste do Paraná.

Com apoio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), o objetivo da operação é apreender documentos e outros materiais que auxiliem nas investigações do esquema de cobrança indevida promovido por assessores e ex-assessores de vereadores da Câmara Municipal do município.

A PCPR iniciou as diligências no mês de agosto, quando um assessor foi preso em flagrante, por policiais do Gaeco e autuado pela PCPR por concussão. O homem teria exigido R$ 2 mil para agilizar uma cirurgia eletiva que a vítima estaria aguardando há anos.

Uma operação da PCPR (Polícia Civil do Paraná) deflagrada na manhã desta quarta-feira (2) mira assessores parlamentares suspeitos de cobrar por cirurgias realizadas no SUS
Assessores parlamentares são suspeitos de cobrar por cirurgias do SUS em Cascavel (Divulgação/PCPR)

Previous ArticleNext Article