Associação de Supermercados alerta para estoques baixos no Paraná

Andreza Rossini

A Associação Paranaense de Supermercados divulgou nota, nesta quinta-feira (24), alertando que os estoques de produtos nos supermercados estão comprometidos. Segundo a entidade, a situação é complicada para alimentos perecíveis, como frutas, legumes, verduras, carne in natura e demais categorias de produtos resfriados, como os laticínios.

Os produtos deixaram de ser transportados devido a greve dos caminhoneiros, que começou na última segunda-feira (21), em todo o Brasil. O Paraná já está com problemas graves no abastecimento da gasolina. Os produtores de leite estão descartando o produto e empresas já pararam de abater carnes, aves peixes por falta de locais para estocar.

A associação pediu ao governo federal que negocie com os caminhoneiros “o mais rápido possível”.

Veja a nota na íntegra: 

A Associação Paranaense de Supermercados (APRAS) informa que considera legítimo o direito de manifestação da categoria profissional dos caminhoneiros contra os constantes aumentos nos preços dos combustíveis e se solidariza com a classe.
Mas, vem a público trazer sua preocupação com as consequências dos bloqueios nas rodovias para o abastecimento de gêneros básicos, notadamente o de alimentos perecíveis, tais como frutas, legumes, verduras, carne in natura e demais categorias de produtos resfriados, como laticínios.
Mesmo com o esforço do setor de supermercados para garantir o perfeito abastecimento da população, empresas filiadas à APRAS reportaram que já começam a ter seus estoques de produtos comprometidos.
Neste sentido, a APRAS, em sintonia com a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), alerta as autoridades do Paraná e do Brasil para que negociem o mais rápido possível com os manifestantes a adoção de providências de curto prazo que permitam a circulação de veículos de cargas perecíveis.
Ao mesmo tempo, conclama para que o diálogo prossiga e que permita o perfeito restabelecimento dos fluxos de logística no país, evitando que a população sofra com a falta de produtos de necessidades básicas.


Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook