Autorizações para desmatamentos autorizados é suspensa até 2017

Fernando Garcel


Brunno Brugnolo, Metro Jornal Curitiba

A emissão de novas autorizações florestais para supressão (desmatamento autorizado), corte e exploração de vegetação continua suspensa no Paraná até a primeira semana do ano que vem. A ordem do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) foi publicada na portaria n° 172/2016 da última terça-feira e prorroga a portaria n° 139/2016, que suspendia as mesmas autorizações de 8 de julho até 8 de setembro.

A decisão do órgão atende recomendação do Ministério Público Estadual (MPE), que no mês passado lançou o projeto ‘Mata Atlântica em Pé’ com o objetivo de promover a reparação dos danos ambientais e a recuperação das áreas degradadas.

Desenvolvida em parceria com o Ibama e o Comando do Batalhão de Polícia Ambiental (Força Verde), a iniciativa prevê um cronograma de ações para os próximos dois anos, que inclui vistorias de campo e sistematização das informações coletadas.

> SOS Mata Atlântica quer que Paraná suspenda licenças de desmatamento
> Paraná é o estado que mais destruiu a Mata Atlântica nos últimos 30 anos

Segundo pesquisa da Fundação SOS Mata Atlântica e do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) divulgada em maio deste ano, o Paraná teve aumento de 116% em áreas desflorestadas nos últimos dois anos — o maior do país. O estado também lidera o ranking de desmatamento acumulado nos últimos 30 anos.

“Estamos discutindo a temática junto com o Ministério Público para criar novos mecanismos de controle e combate ao desmatamento ilegal. Porém, destaco que o Código Florestal Brasileiro permite a emissão de autorizações florestais para supressão de vegetação, que também se faz necessária em muitos casos para garantir o desenvolvimento do Estado. Por isso, precisamos analisar com muito cuidado essa questão e a suspensão nos garante tempo para isso”, explicou o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

Somente no primeiro semestre deste ano, o IAP encontrou cerca de 514 hectares desmatados de forma irregular, sendo 1.373 araucárias derrubadas sem autorização. As multas chegam a R$ 6 milhões.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="384412" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]