Ave resgatada passa por transplante de penas em Foz

Francielly Azevedo


Um transplante de penas inédito foi feito no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Um araçari-castanho foi resgatado todo machucado, ele estava com parte da asa mutilada e precisou passar pelo procedimento.

Os profissionais do Parque das Aves buscaram penas compatíveis com as do animal e colaram na parte cortada. “Ele é um procedimento raro, mas o fato de a gente ter um banco de penas possibilita essa atividade”, contou a diretora técnica do parque, Paloma Bosso.

Uma cola especial e lascas de madeira foram utilizadas para fixar as penas na ave. Segundo os especialistas, o procedimento não causa dor, porque as penas não têm terminações nervosas. O transplante foi um sucesso e, na segunda-feira (15), o bichinho arriscou os primeiros voos de asa nova.

RESGATE

A ave foi resgatada pela Polícia Ambiental em abril. O animal estava debilitado, com as asas cortadas e problemas na boca.

O bicho passou por um intenso tratamento, com dieta especial e medicamentos adequados. Após estar melhor, as penas foram transplantadas.

Asas antes do transplante. (Divulgação Parque das Aves)
Asas após o transplante. (Divulgação Parque das Aves)

O implante de penas é uma técnica antiga utilizada principalmente em centros de reabilitação e na falcoaria, que é a arte de adestrar falcões. As penas transplantadas ficam no animal até que as novas cresçam. “A raiz das penas cai com o tempo, igual o cabelo. Elas caem para dar espaço a outras”, explicou a diretora.

PARQUE DAS AVES

O Parque das Aves recebe cerca de 830 mil visitantes por ano, sendo a única instituição do mundo focada na conservação de aves da Mata Atlântica. O local funciona há 25 anos e tem atualmente 230 colaboradores. No total, são 16 hectares de mata restaurada, com 1.400 aves de 140 espécies diferentes.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.