Avião que pertencia a Fernandinho Beira Mar ajuda a salvar vida de bebê no Paraná

Uma recém-nascida com complicações renais foi transferida neste sábado (1) de Cornélio Procópio, no norte do Paraná, par..

Mariana Ohde - 03 de outubro de 2016, 09:50

Uma recém-nascida com complicações renais foi transferida neste sábado (1) de Cornélio Procópio, no norte do Paraná, para receber atendimento médico em Curitiba. O transporte foi feito pelo avião Falcão 06 - Baron, que pertencia ao traficante Fernandinho Beira Mar e atualmente integra a frota do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) para ações de resgate.

A aeronave foi doada para operações de segurança pública pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O avião possui equipamentos de última geração para este tipo de atividade, garantindo a sobrevida da paciente - o percurso foi feito em apenas uma hora, tempo que subiria para cinco horas por terra. Após o transporte, o bebê foi encaminhado ao Hospital Pequeno Príncipe.

De acordo com o oficial de Relações Públicas do BPMOA, tenente João Paulo de Toledo Lazaroto, a equipe foi acionada pelo Samu de Cornélio Procópio e chegou ao Aeroporto do Bacacheri, na Capital, em uma hora.

“Essa agilidade foi muito importante. A criança de 12 dias nasceu prematura e sua irmã gêmea faleceu no parto. Ela sobreviveu, mas apresentou complicações renais e precisou ser trazida à Capital para receber cuidado médico especializado”, explica o tenente Lazarotto.

De acordo com o tenente, o avião Falcão 06, usado na missão, um Beechcraft Baron BE58, foi doado à Polícia Militar pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “Antes de ser empregado em missões desse tipo, a aeronave tinha a função inversa, para atividades ilícitas”, explica. O avião tem capacidade para transportar quatro passageiros e alcança velocidade de 330 quilômetros por hora em voo cruzeiro, com autonomia de 5,5 horas, conta o tenente.

O Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas instalou novos equipamentos médicos no Falcão 06, o que viabilizou o transporte aeromédico com as condições necessárias para garantir a sobrevida de pacientes, modernização homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).