Avó de menina morta em Rolândia é liberada pela Justiça

Ricardo Pereira - BandNews FM Curitiba


A avó da menina Eduarda Shigematsu, assassinada em Rolândia, norte do Paraná, foi liberada por decisão da Justiça. Ela deixou a prisão ontem (27), no final da tarde. Terezinha de Jesus Guinaia é ré por homicídio e ocultação de cadáver da neta, de 11 anos. O pai da criança, Ricardo Seidi, permanece detido. A polícia acredita que ele matou a filha esganada e que a avó sabia de tudo. Mesmo assim, preferiu não denunciar e permanecer com a tese de que a criança havia desaparecido.

Em depoimento à polícia, Terezinha culpou o filho e disse que não tinha conhecimento algum da morte de Eduarda. Em liberdade, Terezinha terá que cumprir medidas cautelares, como se apresentar em juízo uma vez ao mês, não sair da cidade ou mudar de endereço sem autorização judicial e não se aproximar de testemunhas.

No depoimento à polícia, Ricardo Seidi preferiu ficar em silêncio. Logo após o corpo da menina ter sido encontrado – enterrado no quintal da casa da família, ele disse que a filha havia se suicidado e que, depois de encontrar o corpo pendurado em uma corda, enterrou por não saber o que fazer. No entanto, um laudo do IML revelou que a criança foi assassinada por esganadura.

O Ministério Público denunciou Ricardo e Terezinha por ocultação de cadáver, homicídio com agravante de meio cruel (pela asfixia, sem chances de defesa da vítima) e por feminicídio, já que a morte estaria relacionada ao fato de Eduarda ser mulher. Além disso, os dois também devem responder por falsidade ideológica já que teriam modificado a realidade dos fatos para dificultar a investigação.

Previous ArticleNext Article