Bancários iniciam greve nacional por tempo indeterminado

Mariana Ohde


A partir desta terça-feira (6), bancários de todo o país entram em greve. Em Curitiba, a decisão pela paralisação foi tomada em assembleia na noite da última quinta-feira (1). A categoria negou a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 6,5% dos salários mais R$ 3 mil de abono.

De acordo com o Comando Nacional dos Bancários, a oferta representa perda real de 2,8%. De acordo com o Secretário de Comunicação do Sindicato dos Bancários de Curitiba, Genésio Cardoso, a greve só poderá ser suspensa caso a Fenaban apresente nova proposta. “O que o sindicato entende é que haverá redução de quase 3% nos salários, uma vez que a inflação está em cerca de 9,5%. Então, não dá para a gente ficar com um índice de 6,5%”, explica.

Entre as principais reivindicações dos trabalhadores estão reajuste salarial de 14,78% e melhoria na participação nos lucros e resultados, vales-alimentação e refeição. A paralisação também reivindica melhores condições de trabalho, com metas menos abusivas, além do fim do assédio moral e sexual.

Em nota, a Fenaban ressalta que “Neste ano, com a mudança do modelo de negociação, que permitiu ter uma proposta econômica para a negociação entre bancos e bancários antes do mês da data-base, foi possível trabalhar mais rapidamente na construção de um acordo mais favorável aos bancários.É importante ressaltar que as soluções encontradas na mesa de negociação variam conforme a conjuntura econômica e que a proposta apresentada neste ano responde a condições específicas pela qual passa a economia brasileira”.

A Fenaban informou, ainda, que continua em negociação com a categoria e que, em caso de greve, os clientes devem se preparar para realizar transações bancárias pela internet ou em casas lotéricas.

Clientes

Em razão do anúncio da paralisação dos bancários, o Procon-PR orienta que nenhum prejuízo pode ser imposto ao consumidor. De acordo com secretário de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Artagão Júnior, questões entre empregados e empregadores não podem prejudicar os consumidores. “O consumidor não pode ser prejudicado, porém é importante buscar todos os esclarecimentos a respeito dos pagamentos de faturas, para que mais tarde não venha a ter problemas com os credores”.

O órgão de defesa de consumidor orienta que, se algum consumidor tiver qualquer prejuízo, deve formalizar reclamação no Procon-PR, podendo também utilizar a plataforma para reclamar. Claudia Silvano, diretora do Procon-PR, esclarece ainda que cabe ao credor disponibilizar meios alternativos de pagamento para o consumidor, evitando assim a cobrança de juros ou outros encargos.

É importante, todavia, lembrar que existem opções para realização de algumas transações como pagamentos, por exemplo, que podem ser feitos pela Internet, lotéricas, farmácias, mercados e outros.

O consumidor deve ficar atento aos prazos de vencimento das contas. De acordo com a orientação do Fenaban, as pessoas que têm contas atrasadas de tarifas públicas como água, telefone, e energia, devem ligar para as empresas e negociar uma forma de pagamento. O consumidor que tem conta para pagar e não dispõe de cartão para uso do caixa eletrônico, pode recorrer às agências lotéricas e até mesmo lojas de departamentos que aceitem pagamentos.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal