Bandeira laranja em Curitiba define suspensão de bares: veja o que passa a valer

Vinicius Cordeiro

bandeira laranja em curitiba decreto

A bandeira laranja, que significa risco médio na pandemia de coronavírus, foi adotada novamente em Curitiba nesta sexta-feira (4), conforme os indicadores da SMS (Secretaria Municipal da Saúde). O novo decreto passa a valer a partir da próxima segunda-feira (7) e determina novas restrições a alguns setores.

As principais mudanças são em relação aos bares, que terão as atividades suspensas. Além disso, a cidade terá quarentena aos domingos, ou seja, mercados e shoppings deverão fechar.

Segundo o boletim desta sexta-feira (4), Curitiba registrou mais 495 casos e 12 mortes. Com isso, a capital paranaense totaliza 34.812 casos e 1.051 mortes. 29.185 dos infectados já são considerados recuperados e 596 casos ainda estão em investigados. 81% dos leitos de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) estão ocupados.

“Nosso papel enquanto proteção do cidadão é tomar uma medida. São nove indicadores, que mostraram aumento o número de casos, aumento pequeno nas internações e o nossa taxa de transmissão Quando a gente passou para a bandeira amarela era um amarelo quase laranja, mas era o ponto de corte. Como deu amarelo é amarelo. Deu laranja é laranja”, disse a secretária Márcia Huçulak, em entrevista coletiva.

“Um outro fator que também nos afetou é o painel que a gente monitora, e que assustou muito, é o aumento de procura nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). Temos aumento nas segundas, cerca de 20%, isso é natural. Essa semana tivemos na segunda e se manteve a semana inteira. Os quadros respiratórios voltaram ao patamar de julho, quando tínhamos até 100 pessoas por dia com quadro respiratório que ficam em observação. Isso nos alertou”, completou Huçulak.

Segundo ela, 30% das contaminações são causadas por aglomerações e por isso os bares foram identificados como os lugares que favorecem essa situação. Foram diversos os registros de aglomerações no último final de semana e há temor que isso volte no feriado da Independência do Brasil e da padroeira de Curitiba, celebrados no início da próxima semana.   Além disso, a Secretaria da Saúde identificou que são diversos os casos de transmissão em reuniões familiares, como aniversário de idosos.

RESTRIÇÕES DA NOVA BANDEIRA LARANJA EM CURITIBA

ACADEMIAS, SALÕES E BARBEARIAS

  • Prestação de serviços não essenciais (como salões de beleza, barbearias, academias de ginástica e banho, tosa e estética de animais) não têm restrição de horário, mas não podem abrir aos domingos.

“Acompanhamos bastante as academias e os protocolos deles estão muito bem definidos. Tem poucas pessoas, com distanciamento. A gente vem aprendendo. Essa doença não veio com manual e nem protocolo. A gente já percebeu que quando liberamos academia, não identificamos situações. Tem pouca gente indo e tem seguido protocolos rigorosos”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

BARES

  • suspensos. Não poderão funciona assim como atividades de entretenimento com ou sem música (casas de show, festas, teatros, circo e atividades correlatas), eventuais ou periódicas, bem como estabelecimentos destinados eventos sociais e atividades correlatas, além dos voltados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções e outros.

COMÉRCIO E SHOPPINGS

  • Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais podem abrir de segunda a sábado, das 10h às 20 horas. Aos domingos, apenas delivery.
  • Shopping centers podem abrir de segunda a sábado, das 12h às 22 horas. Aos domingos, apenas delivery.

LANCHONETES, RESTAURANTES E PANIFICADORES

  • Restaurantes e lanchonetes podem abrir de segunda a sábado, até 23 horas. Após esse horário e aos domingos, apenas delivery e drive-thru.
  • Mercados, supermercados e hipermercados: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, não podem funcionar em nenhuma modalidade de atendimento.
  • Panificadoras podem abrir de segunda a sábado, até 23 horas, e domingos, das 6h às 18h, mas é proibido o consumo no local.

FEIRAS, COMÉRCIO VAREJISTA DE HORTIFRUTI, LOJAS DE CONSTRUÇÃO E CONCESSIONÁRIAS

  • Feiras livres e de artesanato podem funcionar de segunda a sábado.
  • Comércio de produtos e alimentos para animais: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, sendo no domingo permitido atendimento de delivery e drive-thru;
  • Comércio varejista de hortifrutis, quitandas, mercearias, distribuidoras de bebidas, peixarias e açougues: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, com proibição de funcionamento aos domingos;
  • Lojas de material de construção (serviço essencial): funcionamento de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, podem funcionar nas modalidades delivery e drive-thru;
  • Concessionárias de veículos em geral: de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário, com proibição de funcionamento aos domingos;
  • O funcionamento dos parques e praças fica condicionado ao cumprimento de protocolo específico, conforme determinado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Nos parques abertos, fica permitida exclusivamente a prática de atividades físicas individuais, com uso de máscaras e distanciamento mínimo da pessoa da frente de 4 (quatro) metros para caminhada, de 10 (dez) metros para corrida e de 20 (vinte) metros para bicicleta. Os parques que estão abertos são: Tingui, Barigui, Barreirinha, Tropeiros, Guairacá, Mairi, Cambuí, Mané Guarrincha, Yberê, Lago Azul, Atuba, Passaúna, Tanguá, Bacacheri, São Lourenço e Náutico.

HOTÉIS, RESORTS, POUSADAS, HOSTELS, CALLCENTER E TELEMARKETING

  • Devem operar com no máximo de 50% de sua capacidade.
  • Callcenter e telemarketing devem funcionar a partir das 9h (exceto os vinculados a serviços de saúde ou home-office, que podem funcionar com capacidade normal);

CURITIBA VOLTA À BANDEIRA LARANJA POR AUMENTO DA COVID-19

O sistema de bandeiras foi elaborado pela SMS no início da pandemia. As cores amarela (alerta)laranja (risco médio) e vermelha (risco alto) são representadas pelas notas 1, 2 e 3, valores da taxa calculada por meio de nove indicadores. Seis deles avaliam o nível de propagação da doença e três monitoram a capacidade de resposta do Sistema de Saúde da cidade.

No dia 13 de junho, a Secretaria divulgou que o alerta subiu para a bandeira laranja. Isso durou até o dia 18 de agosto, quando entrou em vigor o decreto 1080 que determinava a bandeira amarela. Naquele dia, Curitiba somava 818 mortes e 27.657 casos de coronavírus.

Previous ArticleNext Article