Banhista morre afogado no balneário Shangri-lá, em Pontal do Paraná

CBN Curitiba e Redação


Um homem de 48 anos morreu afogado no balneário Shangri-lá, em Pontal do Paraná, no litoral do estado, neste domingo (05). A vítima estava nadando em uma área sem supervisão de guarda-vidas.

Na tentativa de salvamento foram acionadas duas ambulâncias, e um helicóptero do Batalhão da Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA).

De acordo com o tenente Rodrigo Malaquias, do Corpo de Bombeiros, a vítima já saiu da água em parada cardiorrespiratória.

“A vítima foi avistada pelos guarda-vidas civis, do posto Shangri-lá II. Eles fizeram a retirada da água com apoio da aeronave, só que ela já estava em parada cardiorrespiratória. Foi utilizado apoio aeromédico e de uma ambulância do Samu, mas a vítima infelizmente não resistiu e foi a óbito no local”, disse.

BOMBEIROS ALERTAM BANHISTAS PARA NADAR SOMENTE PRÓXIMOS AOS POSTOS DE GUARDA-VIDAS

Mesmo com grande aparato material e tecnológico, não existe ferramenta mais eficiente para diminuir os casos de afogamento que a prevenção. O Corpo de Bombeiros do Paraná está alertando sobre os cuidados aos cidadãos para que observem as medidas de segurança e frequentem somente os locais onde há um posto Guarda-Vidas ativo.

Neste feriado prongado de 7 de Setembro foram ativados 16 postos no Litoral e outros nove na Costa Noroeste do Paraná.

De acordo com o coronel Gelson Marcelo Jahnke, que está respondendo pelo Comando do Corpo de Bombeiros, é importante que as pessoas se previnam e se banhem com segurança, próximos aos postos guarda-vidas, que estarão presentes das 8 às 19 horas.

“Vamos atuar com nossas equipes de bombeiros, que estão dispostos no litoral e na Costa Noroeste, para prevenção e orientação aos banhistas, no entanto, é importante que as pessoas procurem banhar-se onde há presença de guarda-vidas ou, então, onde a água fique até a linha da cintura para, em caso de emergência, conseguir sair e evitar possíveis incidentes”, alertou.

A desatenção, segundo o coronel, é uma das causas mais comuns de afogamentos. Seja por não observar a sinalização de bandeiras ou placa, ou banhar-se em pontos distantes dos postos de Guarda-Vidas, há banhistas que insistem em frequentar locais de risco e demandam um esforço dos bombeiros militares para dar o atendimento e evitar uma tragédia. Por isso, o Corpo de Bombeiros tem investido na prevenção e na educação sobre o tema.

“Quando o cidadão busca seu lazer próximo ao posto de guarda-vidas, ele pode ter certeza de que haverá alguém de olho em sua segurança. Os bombeiros responsáveis por esta função têm treinamento especializado para o salvamento aquático, portanto, ficam observando a movimentação das pessoas e, quando necessário, fazem intervenções, principalmente buscando evitar que o cidadão se exponha ao risco”, explica. “A bebida é outro fator que pode levar ao afogamento, caso a pessoa beba e entre na água. Procure buscar seu lazer com responsabilidade”,  completa.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="788187" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]