Beto Preto nega falta de atendimento e admite situação crítica nos estoques de medicamentos

Jorge de Sousa

Beto Preto nega falta de atendimento aos pacientes com Covid-19

O secretário de estado da Saúde, Beto Preto, negou em entrevista coletiva nesta sexta-feira (19), que pacientes com Covid-19 estejam sem atendimento em todo Paraná.

“Ninguém está morrendo na fila, ninguém está desassistido. De alguma forma, esse paciente está acolhido, nem que seja no transporte dentro do SAMU, com equipamento e profissionais treinados. Mas se os números continuarem subindo, vai ser difícil acompanhar”, explicou Beto Preto.

Para tentar frear a contaminação pela Covid-19 na Região Metropolitana de Curitiba, o Governo do Paraná estabeleceu que 11 municípios dessa regional devem seguir as medidas restritivas estabelecidas pela capital paranaense.

Dentre essas medidas estão a proibição do funcionamento de atividades não essenciais, o impedimento da circulação de pessoas das 20h às 5h e o fechamento de supermercados aos domingos.

Dessa forma, Almirante Tamandaré, Araucária, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Magro, Colombo, Fazenda Rio Grande, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras e São José dos Pinhais vão seguir as determinações estabelecidas pela Prefeitura de Curitiba.

Já Adrianópolis, Agudos do Sul, Balsa Nova, Bocaiúva do Sul, Campo do Tenente, Cerro Azul, Contenda, Doutor Ulysses, Itaperuçu, Lapa, Mandirituba, Piên, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Rio Verde, Tijucas do Sul e Tunas do Paraná receberam essas orientações em caráter recomendativo, ou seja, podem decidir por não seguirem na íntegra o decreto.

Mesmo com esse caráter, Beto Preto solicitou para essas prefeituras que hajam com bom senso e procurem manter bons índices de isolamento social.

“Momento é decisivo. Se falta leitos para Almirante Tamandaré, também falta para Piên. Estamos com explosão de casos nesse momento. O cidadão que fica infectado hoje, pode precisar logo mais de um leito de hospital. Então essa lógica tem que nos guiar também para trabalhar e diminuir o contágio e a infecção”, prosseguiu o secretário.

Também presente na entrevista, o prefeito de Almirante Tamandaré e presidente do Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (Comesp), Gerson Colodel, destacou o trabalho conjunto dos prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba com a Secretaria de Estado da Saúde para a elaboração do decreto.

“Nós da Região Metropolitana dependemos da central de leitos do Governo do Estado e nossas UPAs fazem o primeiro atendimento e o encaminhamento dos pacientes, mas não estamos tendo atualmente vagas para essas pessoas. Não adianta um município abrir uma quadra esportiva e outro abrir. Por isso estamos fazendo os nossos decretos de forma semelhante”, pontuou Colodel.

BETO PRETO ADMITE BAIXO ESTOQUE DE REMÉDIOS PARA INTERNAÇÕES

O secretário ainda apontou que o Paraná está perto de um desabastecimento nos estoques de remédios utilizados nas internações de pacientes pela Covid-19.

“Estamos com esse sofrimento da falta de medicamentos para os internamentos para os pacientes que precisam de um leito e atendimento. Passamos a tarde hoje com o diretor geral, fazendo buscas inclusive no exterior, visto que há possibilidade da Anvisa liberar esse procedimento. Não sabemos se o Ministério será capaz de fazer esse atendimento”, admitiu Beto Preto.

A situação mais grave é dos bloqueadores neuromusculares – relaxantes utilizados para auxiliar pacientes que necessitam de ventilação mecânica, cujo estoque pode esgotar ainda neste fim de semana.

Somente nas últimas 24 horas, o Paraná registrou novos 8.112 casos confirmados e 268 mortes pela Covid-19. Ainda segundo a Secretaria de Estado da Saúde, desde o início da pandemia foram contabilizados 784.522 contaminações e 14.546 óbitos.

LEIA MAIS: TCE manda suspender a circulação dos ônibus em Curitiba; Prefeitura recorre

Previous ArticleNext Article