Blocos de papel do EstaR têm prazo de troca ampliado em Curitiba

Redação

Blocos de papel do EstaR têm validade ampliada em Curitiba

A Urbs (Urbanização de Curitiba) ampliou o prazo de troca dos blocos de papel do EstaR para o dia 10 de julho. Após essa data não será mais possível utilizar esses créditos para a versão eletrônica.

Anteriormente os blocos de papel ficariam sem possibilidade de troca nesta quarta-feira (10), mas segundo o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, a pandemia do coronavírus irá permitir maior prazo para os usuários.

Quem possui os blocos de papel pode realizar a troca na sede da Urbs na Rodoferroviária ou nas Ruas da Cidadania do Carmo, Pinheirinho, Cajuru, Boa Vista, Fazendinha, Santa Felicidade, Tatuquara, Bairro Novo e Matriz.

O atendimento presencial nesses locais precisa ser agendado pelo site da Urbs e tem horário das 11h às 17h, sendo que a troca dos créditos é gratuita.

COMO FUNCIONA O ESTAR ELETRÔNICO?

Assim como funciona com o bloco de cartões do EstaR, os usuários também poderão comprar créditos pelos aplicativos e armazená-los para utilizar quando forem estacionar. Haverá possibilidade de o usuário receber desconto ao adquirir um número maior de créditos.

Cada empresa de aplicativo terá sua política de descontos. A Urbs estabeleceu apenas o valor máximo que poderá ser cobrado pela fração de hora do estacionamento. O sistema de pagamento poderá ser por cartão e boleto bancário e os aplicativos também devem oferecer outros modelos de pagamento.

A novidade é que no novo modelo os créditos serão fracionados de quinze em quinze minutos. No modelo atual, o motorista paga a hora cheia, mesmo se usar a vaga por período menor. Com o EstaR digital, o usuário que usar menos de uma hora, por exemplo, terá o restante do tempo transformado em créditos para a próxima vez.

O preço da hora passa de R$ 2 para R$ 3 reais. Desde 2015, o EstaR não tinha o preço reajustado na cidade, porém o fracionamento trará economia para o motorista. O preço para 15 minutos é de R$ 0,75. Vale lembrar que um estacionamento privado no Centro cobra, em média, R$ 6 por meia hora e R$ 12 pela hora cheia.

A fiscalização permanece com agentes da Setran, que terão um dispositivo com geolocalização dos carros estacionados em cada área. Com isso, o agente poderá rapidamente saber se o veículo está estacionado irregularmente. A fiscalização se dá pela placa.

Quando o prazo do EstaR estiver para vencer, o sistema envia uma mensagem ao motorista, que poderá renovar o tempo de uso, desde que limitado a duas horas. Caso tenha que mudar o carro de área, uma nova compra terá que ser feita.

No EstaR Eletrônico, a regularização da infração por estacionamento irregular terá os mesmos cinco dias úteis para ser feita, pelo site da Urbs, e mediante o pagamento de R$ 30. Esse valor não será transformado em crédito.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="702994" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]