Paraná registra 627 novos casos, bate recorde e chega a 280 mortes por coronavírus

O Paraná bateu recorde de novos casos por coronavírus em um dia nesta quinta-feira (11), feriado de Corpus Christi. São ..

Redação - 11 de junho de 2020, 18:04

(Reprodução / Freepick)
(Reprodução / Freepick)

O Paraná bateu recorde de novos casos por coronavírus em um dia nesta quinta-feira (11), feriado de Corpus Christi. São 627 novas confirmações e cinco novas mortes, o que totalizam 8.457 casos e 280 óbitos desde o início da pandemia. O boletim da Covid-19 no Estado é feito pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde).

São 627 novas confirmações em relação a ontem (10), recorde do Estado nesta pandemia, e cinco novas mortes - três homens e duas mulheres. Eles tinham entre 61 e 84 anos, eram residentes de Terra Boa, Rondon, Wenceslau Braz, Tapejara e Paiçandu e vieram a óbito entre os dias 5 e 10 deste mês.

O boletim ainda informa que 393 pacientes estão internados. Destes, 173 estão em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e 220 em leitos enfermaria. A Sesa ainda faz a relação entre o SUS (Sistema Único de Saúde), que conta hoje com 282 pacientes, e a rede hospitalar, que atende outras 111 pessoas.

Dos 8.457 casos confirmados no Paraná, 2.887 pessoas estão recuperadas. Já outros 2.774 pacientes ainda aguardam o resultado do  exame.

Coronavírus no Paraná

Infogram

PARANÁ BATE RECORDE DE CASOS

O feriado de Corpus Christi se torna um marco negativo para o Paraná durante a pandemia do coronavírus. Em nenhum dia, até hoje, havia sido registrado mais de 600 casos.

Até então, os recordes eram dos dias 5 e 10 de março que registraram 519 e 533 casos, respectivamente.

Hoje, 295 das 399 cidades do Paraná, ou seja, praticamente 74% do Estado, têm ao menos um caso confirmado de coronavírus, sendo que 99 municípios registram óbitos pela doença.

O governo segue o monitoramento da doença e, desde março, admite que tem um plano de lockdown. Nessa semana, o plano teve mais repercussão após a fala do prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e do secretário de Saúde, Beto Preto, que admitiram a possibilidade de um 'lockdown regional', ou seja, de acordo com as regiões do Paraná em situações mais críticas.