Fizemos do Brasil um covidário perfeito, diz secretária da Saúde de Curitiba em desabafo

Redação

secretária de saúde curitiba márcia huçulak brasil

A secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, foi às redes sociais fazer um desabafo sobre o momento crítico da pandemia de covid-19 no Brasil. Na visão dela, não havia preparo para tanta falta de respeito da população em relação às medidas de combate.

“Não me venham dizer que não nos preparamos. Realmente não nos preparamos para ver tanta negação de uma doença nova e grave. Não nos preparamos para ver o descaso das pessoas e o deboche em relação a todas as orientações dos cuidados para evitar o contágio”.

Não nos preparamos para ver uma sociedade auto-referida e egoísta que só pensa em si. Fizemos do Brasil um covidário, um lugar perfeito para a proliferação do vírus e das suas novas variantes. Deus nos ajude!“, completou.

A situação das UTIs de covid-19 está crítica em Curitiba. Seis dos hospitais que têm leitos de UTI da rede pública estão sem vagas. Além disso, os três hospitais da Região Metropolitana também estão com capacidade máxima.

No Paraná, quase mil pessoas estão no aguardo de um leito, sendo que 519 precisam de uma UTI.

“Chegamos ao limite das nossas forças e da capacidade de resposta do sistema de saúde. Nossos profissionais de saúde chegaram à exaustão. E um aviso aos incautos, 25% das pessoas que internam morrem, se for para UTI e for entubado 50% de óbitos”, alertou Huçulak.

Márcia Huçulak
Secretária Márcia Huçulak, responsável pela gestão da Saúde de Curitiba durante a pandemia de covid. (Reprodução)

Mesmo diante do decreto que determina o fechamento das atividades não essenciais e ampliação do toque de recolher, o número de casos e internações segue em alta assim como em mais de 15 estados do Brasil. A secretária da Saúde de Curitiba ainda afirma que as ações restritivas determinadas pelos governos municipais e estaduais não funcionam porque há descaso da população. Por fim, ela ressaltou que não há diferenciação em relação à classe social.

“É avassalador ver a quantidade de pessoas que chegam aos serviços de saúde, o vírus se tornou “democrático”. Não importa mais se você é pobre ou rico, não vai ter UTI.E para os que pedem mais UTIs e hospitais de campanha, só um dado de realidade, não há mais profissionais de saúde e com saúde, para atuar nesses lugares”, finaliza.

Essa gravura representa muito bem o momento que estamos passando.
Chegamos ao limite das nossas forças e da capacidade…

Publicado por Marcia Huçulak em Domingo, 7 de março de 2021

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="749948" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]