Caminhada encerra mês da saúde e segurança no trabalho

Na véspera do Dia do Trabalho e no último mês do mês chamado Abril Verde, em memória às vítimas de acidentes e doenças d..

Roger Pereira - 30 de abril de 2016, 16:44

Na véspera do Dia do Trabalho e no último mês do mês chamado Abril Verde, em memória às vítimas de acidentes e doenças do Trabalho, médicos e técnicos em segurança do trabalho foram às ruas de Curitiba para chamar a atenção para a prevenção de acidentes e doenças no ambiente laboral. “Há uma preocupação gigantesca das autoridades com epidemias como a dengue, por exemplo, mas enquanto a doença matou pouco mais de 800 pessoas no Brasil no ano passado, os acidentes do trabalho, mataram mais de 3 mil brasileiros e não vemos uma política pública efetiva para controlar essa epidemia”, disse o presidente do Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho, Adir de Souza

Idealizador do Abril Verde, Adir comemora ter conseguido, neste ano, levar a mobilização para outros estados da federação. “Acredito que nunca se falou tanto em saúde e segurança no trabalho, como fizemos neste mês no Brasil. Precisamos criar uma cultura de prevenção. Temos que sair do status de ‘epeização’, que é a ideia apenas oferecer o EPI já é suficiente para prevenir os acidentes e as doenças. É preciso ciência, para estudar e, se necessário, mudar os métodos de produção, para expor o trabalhador a cada vez menos risco”, disse.

O presidente de Associação Paranaense de Medicina do Trabalho, Paulo Zétola, diz esperar que a reivindicação por condições saudáveis de trabalho, jornadas adequadas, ergonomia e proteção a agentes de risco estejam entre as pautas dos trabalhadores que vão para as ruas amanhã, nas mobilizações do 1º de maio. “Ao lado dos salários dignos, dos direitos trabalhistas, do assédio moral – que inclusive interfere na saúde do trabalhador, o foco à saúde do trabalhador e às condições adequadas do ambiente de trabalho e a diminuição da precarização  estejam entre as principais bandeiras dos movimentos”, disse.