Caminhoneiros paranaenses compravam laudos toxicológicos falsos em SC

Metro Jornal Curitiba


Uma investigação do Ministério Público de Santa Catarina levou ao indiciamento de 24 caminhoneiros, dos três estados do sul do país, suspeitos de comprar laudos toxicológicos para a renovação da CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Segundo o MP-SC, os documentos eram emitidos por um laboratório de Criciúma, no sul catarinense. Nove caminhoneiros do Paraná foram denunciados à Justiça pelo crime de falsidade ideológica, com pena prevista de um a cinco anos de prisão. Quatro são da cidade de Cambará, três de Jacarezinho, um de Curitiba e um de Colombo. Os processos ainda não estão no início, na fase de citação. A proprietária do laboratório nega as acusações.

A obrigatoriedade do exame toxicológico foi estabelecida pela lei federal 13.103, conhecida como Lei do Caminhoneiro, em vigor desde março de 2016. A CNH para motoristas profissionais tem validade de cinco anos e o exame toxicológico e feito quando da renovação ou obtenção do documento.

O MP-SC apurou que o laboratório cobrava entre R$ 800 e R$ 1,2 mil por laudo forjado. O exame, que detecta a presença de cocaína, anfetaminas e outras drogas no sangue, é feito com fios de cabelo. Segundo a investigação, os motoristas entregavam apenas uma foto e faziam o pagamento. O cabelo examinado era coletado em um salão de beleza por uma funcionária do laboratório.

Cocaína

A obrigatoriedade do laudo foi estabelecida para combater o uso de drogas entre caminhoneiros. Segundo Jean Haratsari, gestor do laboratório DB Toxicológico, a droga mais comum nas estradas é a cocaína, usada pelos motoristas para se manterem acordados. Metade dos exames feitos pelo laboratório em todo o país tem resultado positivo para cocaína. Quando o laudo confirma o uso de drogas, o motorista deve esperar 90 dias para fazer um novo teste.

O exame é exigido para motoristas das categorias C (caminhão), D (ônibus e vans) e E (veículos pesados com reboques e trailers).

Em fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que pretende ampliar o prazo de renovação da CNH. Em campanha no ano passado, ele falou em aumentar o prazo para dez anos. O governo ainda não elaborou nenhuma proposta.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="614812" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]